Atalho do Facebook

FICAMOS ALEGRES COM SUA VISITA

ESPERAMOS, QUE COM A GRAÇA SANTIFICANTE DO ESPIRITO SANTO, E COM O DERRAMAR DE SEU AMOR, POSSAMOS ATRAVÉS DESTE HUMILDE CANAL SER VEÍCULO DA PALAVRA E DO AMOR DE DEUS, NÃO IMPORTA SE ES GREGO, ROMANO OU JUDEU A NOSSA PEDRA FUNDAMENTAL CHAMA-SE CRISTO JESUS E TODOS SOMOS TIJOLOS PARA EDIFICACÃO DESTA IGREJA QUE FAZ O SEU EXODO PARA O CÉU. PAZ E BEM

AGRADECIMENTO

AGRADECEMOS AOS NOSSOS IRMÃOS E LEITORES, POR MAIS ESTE OBJETIVO ATINGIDO, É A PALAVRA DE CRISTO SEMEADA EM MILHARES DE CORAÇÕES. PAZ E BEM

SALMOS UM SOCORRO DE DEUS

SALMO  1

1. Feliz o homem que não procede conforme o conselho dos ímpios, não trilha o caminho dos pecadores, nem se assenta entre os escarnecedores.


2. Feliz aquele que se compraz no serviço do Senhor e medita sua lei dia e noite.

3. Ele é como a árvore plantada na margem das águas correntes: dá fruto na época própria, sua folhagem não murchará jamais. Tudo o que empreende, prospera.

4. Os ímpios não são assim! Mas são como a palha que o vento leva.

5. Por isso não suportarão o juízo, nem permanecerão os pecadores na assembléia dos justos.

6. Porque o Senhor vela pelo caminho dos justos, ao passo que o dos ímpios leva à perdição

 
SALMO 2
 
1. Por que tumultuam as nações? Por que tramam os povos vãs conspirações?


2. Erguem-se, juntos, os reis da terra, e os príncipes se unem para conspirar contra o Senhor e contra seu Cristo.

3. Quebremos seu jugo, disseram eles, e sacudamos para longe de nós as suas cadeias!

4. Aquele, porém, que mora nos céus, se ri, o Senhor os reduz ao ridículo.

5. Dirigindo-se a eles em cólera, ele os aterra com o seu furor:

6. Sou eu, diz, quem me sagrei um rei em Sião, minha montanha santa.

7. Vou publicar o decreto do Senhor. Disse-me o Senhor: Tu és meu filho, eu hoje te gerei.

8. Pede-me; dar-te-ei por herança todas as nações; tu possuirás os confins do mundo.

9. Tu as governarás com cetro de ferro, tu as pulverizarás como um vaso de argila.

10. Agora, ó reis, compreendei isto; instruí-vos, ó juízes da terra.

11. Servi ao Senhor com respeito e exultai em sua presença; prestai-lhe homenagem com tremor, para que não se irrite e não pereçais quando, em breve, se acender sua cólera. Felizes, entretanto, todos os que nele confiam

SALMO 3
 
1. Salmo de Davi, quando fugia de Absalão, seu filho.


2. Senhor, como são numerosos os meus perseguidores! É uma turba que se dirige contra mim.

3. Uma multidão inteira grita a meu respeito: Não, não há mais salvação para ele em seu Deus!

4. Mas vós sois, Senhor, para mim um escudo; vós sois minha glória, vós me levantais a cabeça.

5. Apenas elevei a voz para o Senhor, ele me responde de sua montanha santa.

6. Eu, que me tinha deitado e adormecido, levanto-me, porque o Senhor me sustenta.

7. Nada temo diante desta multidão de povo, que de todos os lados se dirige contra mim.

8. Levantai-vos, Senhor! Salvai-me, ó meu Deus! Feris no rosto todos os que me perseguem, quebrais os dentes dos pecadores.

9. Sim, Senhor, a salvação vem de vós. Desça a vossa bênção sobre vosso povo

SALMO 4
 
1. Ao mestre de canto. Com instrumentos de corda. Salmo de Davi.


2. Quando vos invoco, respondei-me, ó Deus de minha justiça, vós que na hora da angústia me reconfortastes. Tende piedade de mim e ouvi minha oração.

3. Ó poderosos, até quando tereis o coração endurecido, no amor das vaidades e na busca da mentira?

4. O Senhor escolheu como eleito uma pessoa admirável, o Senhor me ouviu quando o invoquei.

5. Tremei, mas sem pecar; refleti em vossos corações, quando estiverdes em vossos leitos, e calai.

6. Oferecei vossos sacrifícios com sinceridade e esperai no Senhor.

7. Dizem muitos: Quem nos fará ver a felicidade? Fazei brilhar sobre nós, Senhor, a luz de vossa face.

8. Pusestes em meu coração mais alegria do que quando abundam o trigo e o vinho.

9. Apenas me deito, logo adormeço em paz, porque a segurança de meu repouso vem de vós só, Senhor.

SALMO 5
 
1. Ao mestre de canto. Com flautas. Salmo de Davi.


2. Senhor, ouvi minhas palavras, escutai meus gemidos.

3. Atendei à voz de minha prece, ó meu rei, ó meu Deus.

4. É a vós que eu invoco, Senhor, desde a manhã; escutai a minha voz, porque, desde o raiar do dia, vos apresento minha súplica e espero.

5. Pois vós não sois um Deus a quem agrade o mal, o mau não poderia morar junto de vós;

6. os ímpios não podem resistir ao vosso olhar. Detestais a todos os que praticam o mal,

7. fazeis perecer aqueles que mentem, o homem cruel e doloso vos é abominável, ó Senhor.

8. Mas eu, graças à vossa grande bondade, entrarei em vossa casa. Prostrar-me-ei em vosso santuário, com o respeito que vos é devido, Senhor.

9. Conduzi-me pelas sendas da justiça, por causa de meus inimigos; aplainai, para mim, vosso caminho.

10. Porque em seus lábios não há sinceridade, seus corações só urdem projetos ardilosos. A garganta deles é como um sepulcro escancarado, com a língua distribuem lisonjas.

11. Deixai-os, Senhor, prender-se nos seus erros, que suas maquinações malogrem! Por causa do número de seus crimes, rejeitai-os, pois é contra vós que se revoltaram.

12. Regozijam-se, pelo contrário, os que em vós confiam, permanecem para sempre na alegria. Protegei-os e triunfarão em vós os que amam vosso nome.

13. Pois, vós, Senhor, abençoais o justo; vossa benevolência, como um escudo, o cobrirá.

SALMO 6
 
1. Ao mestre de canto. Com instrumentos de corda. Em oitava. Salmo de Davi.


2. Senhor, em vossa cólera não me repreendais, em vosso furor não me castigueis.

3. Tende piedade de mim, Senhor, porque desfaleço; sarai-me, pois sinto abalados os meus ossos.

4. Minha alma está muito perturbada; vós, porém, Senhor, até quando?...

5. Voltai, Senhor, livrai minha alma; salvai-me, pela vossa bondade.

6. Porque no seio da morte não há quem de vós se lembre; quem vos glorificará na habitação dos mortos?

7. Eu me esgoto gemendo; todas as noites banho de pranto minha cama, com lágrimas inundo o meu leito.

8. De amargura meus olhos se turvam, esmorecem por causa dos que me oprimem.

9. Apartai-vos de mim, vós todos que praticais o mal, porque o Senhor atendeu às minhas lágrimas.

10. O Senhor escutou a minha oração, o Senhor acolheu a minha súplica.

11. Que todos os meus inimigos sejam envergonhados e aterrados; recuem imediatamente, cobertos de confusão


SALMO 7

ORAÇÃO DE UM JUSTO PERSEGUIDO




Salmo individual de súplica. Retrata um crente assediado por um inimigo e que, no templo, faz o seu juramento de inocência. Com esse juramento, e através dos rituais correspondentes, espera ver-se liberto desse inimigo e ver castigados os malfeitores em geral. A designação hebraica do título (v.1) só se encontra aqui e em Hab 3,1; parece designar uma lamentação. Desconhece-se o acontecimento histórico ali referido.
1Lamentação que David dirigiu ao Senhor,

a propósito de Cuche, o benjaminita.

2SENHOR, meu Deus, a ti me confio;

livra-me de todos os que me perseguem e salva-me.

3Que não me arrebatem como o leão

e me dilacerem, sem que ninguém me valha.

4SENHOR, meu Deus, se fiz algum mal,

se há injustiça nas minhas mãos,

5se atraiçoei o meu amigo,

se poupei o agressor injusto –

6então, que o inimigo me persiga e me apanhe;

que ele pise no chão a minha vida

e a minha glória tenha de morar no pó.

7Levanta-te, SENHOR, na tua ira,

e faz frente à fúria dos meus inimigos.

Desperta, ó meu Deus, e decreta a sentença.

8Junta em redor de ti a assembleia dos povos,

vem presidir a ela do alto do teu trono.

9O SENHOR julga os povos;

julga-me, então, SENHOR, segundo o meu direito

e segundo a minha inocência.

10Peço-te: acaba com a malícia dos ímpios;

fortalece os que são justos,

Tu, que perscrutas o íntimo dos corações,

ó Deus de justiça!

11A minha protecção está em Deus,

que salva os de coração sincero.

12Deus é um justo juiz,

que, a todo o momento, pode castigar.

13Se o ímpio não se converter,

pode afiar de novo a sua espada,

retesar o arco e apontar a seta:

14contra si prepara armas de morte,

das suas flechas faz tições ardentes.

15Pode conceber a maldade,

gerar a iniquidade e dar à luz a mentira.

16Abre um fosso profundo para os outros,

mas cai na cova que ele mesmo fez.

17A sua malícia recairá sobre a sua cabeça,

e a sua violência, sobre a sua fronte.

18Louvarei o SENHOR pela sua justiça

e cantarei o nome do Deus Altíssimo.
 
 
SALMO 8
 
HINO AO CRIADOR DO HOMEM (Sl 104; Sir 17,1-14; Heb 2,5-8)


Magnífico exemplo de um hino, que celebra simultaneamente a grandeza de Deus e do universo e, em especial, a elevada dignidade do ser humano. A unidade literária, com o mesmo refrão no princípio e no fim (v. 2.10), é uma imagem clara do mundo harmonioso e optimista em que o salmista se move.

1Ao director do coro. Sobre a lira de Gat. Salmo de David.

2Ó SENHOR, nosso Deus,

como é admirável o teu nome em toda a terra!

Adorarei a tua majestade, mais alta que os céus.

3Da boca das crianças e dos pequeninos

fizeste uma fortaleza contra os teus inimigos,

para fazer calar os adversários rebeldes.

4Quando contemplo os céus, obra das tuas mãos,

a Lua e as estrelas que Tu criaste:

5que é o homem para te lembrares dele,

o filho do homem para com ele te preocupares?

6Quase fizeste dele um ser divino;

de glória e de honra o coroaste.

7Deste-lhe domínio sobre as obras das tuas mãos,

tudo submeteste a seus pés:

8rebanhos e gado, sem excepção,

e até mesmo os animais bravios;

9as aves do céu e os peixes do mar,

tudo o que percorre os caminhos do oceano.

10Ó SENHOR, nosso Deus,

como é admirável o teu nome em toda a terra!
 
 
SALMO 9
 
DEUS, PROTECTOR DOS HUMILDES


Como se pode ver pela numeração da tradução grega dos Setenta e das traduções latinas e portuguesas antigas, os Salmos 9 e 10 devem ter constituído inicialmente um só. Por esta razão, a numeração de origem grega deixa de acompanhar a de origem hebraica, desde o Sl 9 até ao Sl 147, apresentando um número acima na contagem dos respectivos salmos (ver esquema na Introdução). Ambos parecem constituir um salmo individual de acção de graças. O agradecimento é dirigido a Deus, apresentado como protector do salmista pobre e oprimido. A justiça de Deus dá-lhe coragem para enfrentar o mundo. Neste salmo, houve a preocupação de ordenar os versos consoante as letras do alfabeto hebraico, tal como acontece com os Sl 25; 34; 37; 111; 112; 119 e 145. São os chamados “Salmos alfabéticos”.

1Ao director do coro. Com voz de soprano.

Salmo de David.

2Quero louvar-te, SENHOR, com todo o coração,

e narrar todas as tuas maravilhas.

3Em ti exultarei de alegria

e cantarei salmos ao teu nome, ó Altíssimo.

4Os meus inimigos batem em retirada,

tropeçam e caem mortos diante de ti.

5Tu defendes o meu direito e a minha justiça,

sentando-te no tribunal como justo juiz.

6Ameaçaste os pagãos, exterminaste os ímpios,

apagaste o seu nome para sempre.

7A ruína dos inimigos é completa e definitiva;

destruíste as suas cidades, a memória deles desapareceu.

8Mas o SENHOR é rei pelos séculos.

Ele preparou o seu trono para o julgamento.

9E assim julgará o mundo com justiça,

governará as nações com equidade.

10O SENHOR é o refúgio do oprimido;

a sua defesa, no tempo de angústia.

11Os que conhecem o teu nome, SENHOR, confiam em ti,

pois nunca abandonaste quem te procura.

12Cantai ao SENHOR, que habita em Sião;

anunciai as suas obras entre as nações.

13Ele persegue os assassinos, lembra-se deles,

não esquece o clamor dos infelizes.

14Tem piedade de mim, SENHOR,

vê a minha aflição diante dos inimigos;

livra-me das portas da morte.

15Assim, poderei cantar-te louvores às portas de Sião

e celebrar a tua protecção com alegria.

16Os pagãos caíram no fosso que fizeram;

os seus pés ficaram presos na rede que esconderam.

17O SENHOR manifestou-se e fez justiça

e o ímpio caiu nas próprias malhas.

18Retirem-se os ímpios para a mansão dos mortos,

e todos os pagãos que rejeitam a Deus.

19Mas o pobre não será esquecido eternamente,

nem para sempre se há-de perder a esperança dos infelizes.

20Levanta-te, SENHOR! Que o homem não prevaleça!

Julga as nações na tua presença.

21Faz com que os povos temam, ó Deus;

faz-lhes saber que são simples mortais.
 
 
SALMO 10
 
ORAÇÃO PELOS OPRIMIDOS


Como foi dito na nota inicial ao salmo anterior, este é igualmente individual de acção de graças, dando continuidade ao tema da protecção divina para os desprotegidos. Essa protecção é estendida aos indefesos, infelizes, inocentes, miseráveis, vítimas de toda a espécie de prepotências.

1SENHOR, porque te conservas à distância

e te escondes nos tempos de angústia?

2No seu orgulho, o ímpio persegue o infeliz;

que ele seja apanhado na cilada que armou.

3O pecador vangloria-se da sua ambição;

o ganancioso blasfema e despreza o SENHOR.

4O ímpio diz, na sua arrogância:

«Ele não me castigará! Deus não existe!»

É só nisto que ele pensa.

5Julga que os seus caminhos hão-de prosperar sempre,

mas os teus juízos estão muito acima dele;

ele despreza todos os seus adversários.

6Diz em seu coração: «Jamais serei abalado;

não hei-de cair na desgraça.»

7A sua boca está cheia de maldição e mentira;

na sua língua só há malícia e maldade.

8Põe-se de emboscada junto aos povoados

e esconde-se para matar o inocente;

os seus olhos espiam o infeliz.

9Escondido como o leão no seu covil,

arma ciladas para assaltar o indefeso

e, quando o apanha, arrasta-o na sua rede.

10Abaixa-se, deita-se por terra

e as suas garras caem em cima dos infelizes.

11Depois, diz em seu coração: «Deus esquece-se

e desvia o rosto para não ter de ver mais.»

12Levanta-te, SENHOR! Ó Deus, ergue a tua mão

e não te esqueças dos miseráveis.

13Porque há-de o ímpio desprezar a Deus

e dizer no seu coração que Tu não castigas?

14Mas Tu vês a angústia e o pesar,

observas tudo e tomas essa causa nas tuas mãos.

A ti se abandona confiadamente o pobre;

Tu és o amparo do órfão.

15Quebra o braço dos ímpios e dos pecadores;

castiga a sua maldade, para que ela desapareça.

16O SENHOR é rei para sempre;

desapareçam os pagãos, da terra que lhe pertence.

17Ouve, SENHOR, o grito dos humildes;

atende-os e conforta-os no seu coração.

18Faz justiça aos órfãos e oprimidos;

e que ninguém, neste país,

volte a espalhar o terror.