Atalho do Facebook

FICAMOS ALEGRES COM SUA VISITA

ESPERAMOS, QUE COM A GRAÇA SANTIFICANTE DO ESPIRITO SANTO, E COM O DERRAMAR DE SEU AMOR, POSSAMOS ATRAVÉS DESTE HUMILDE CANAL SER VEÍCULO DA PALAVRA E DO AMOR DE DEUS, NÃO IMPORTA SE ES GREGO, ROMANO OU JUDEU A NOSSA PEDRA FUNDAMENTAL CHAMA-SE CRISTO JESUS E TODOS SOMOS TIJOLOS PARA EDIFICACÃO DESTA IGREJA QUE FAZ O SEU EXODO PARA O CÉU. PAZ E BEM

AGRADECIMENTO

AGRADECEMOS AOS NOSSOS IRMÃOS E LEITORES, POR MAIS ESTE OBJETIVO ATINGIDO, É A PALAVRA DE CRISTO SEMEADA EM MILHARES DE CORAÇÕES. PAZ E BEM

terça-feira, 29 de março de 2016

Eu servo obediente....! Será ?


“Eu não sei lidar com os músicos da minha paróquia!”, disse o padre. Já perdi a conta de quantas vezes ouvi este tipo de reclamação. Muitas vezes padre e ministério não se entendem. Parecem querer coisas diferentes, terem visões distintas sobre a liturgia e o modo como a música pode contribuir para ela. Com certa frequência vi desentendimento e intolerâncias. Esta distância entre padre e leigo/músico pode surgir em uma palavra mal compreendida ou mesmo quando dita de forma pouco clara. O caminho de restauração da unidade paroquial é em alguns casos, longo e dolorido. Quem tem razão? Pouco importa. Se for verdade que o amor tem suas próprias razões, é verdade também que o amor é razão de tudo o que somos e fazemos pastoralmente. Todo nosso serviço nasce do amor. E o amor não escolhe hora ou jeito de se dar. Amor verdadeiro se entrega por completo, por inteiro no tempo e no espaço da vida. Ao longo de muitos anos servindo em missas e grupos de oração, aprendi que o caminho para a unidade e serviço requer abnegação. Requer deixar de lado a discussão do momento, o argumento do convencimento. Convence-se não pelas palavras mas pelo exemplo de obediência, generosidade e mansidão. “Mas o padre não aceita nossas sugestões!”, exclamam os jovens ao longo dos anos por milhares de paroquias pelo Brasil. Meu conselho? Permaneçam sugerindo, estudando e contribuindo. Mas, sobretudo, permaneçam obedecendo. Se virá o reconhecimento externo ou não, eu não sei. Mas com certeza sua vida interior se abrirá, se alargará. Na medida do amor da sua obediência, por mais custosa que lhe seja. A obediência é um caminho de santidade seguro. Obediência não é omissão ou descaso. Obediência é um reconhecer em Deus o governo das nossas vidas. Mesmo que ignoremos o destino, mesmo que aquele que guia se ensurdeça às nossas vozes. Obedecer é curvar-se para elevar-se. Ou melhor: ser elevado. Obedecer é a justa medida do serviço por amor. E o amor não cansa e não se cansa, como nos lembra São João Da Cruz! Paz e bem

segunda-feira, 28 de março de 2016

Confiança ......


“E Ele, despertando, repreendeu o vento e disse ao mar: Acalma-te, emudece! O vento se aquietou, e fez-se grande bonança” (Marcos 4:39). Exausto, Jesus adormeceu na popa do barco. Mas, de repente, o vento começou a soprar sobre o Mar da Galiléia, agitando as ondas. O céu escureceu enquanto os relâmpagos riscavam o céu e os trovões ribombavam. O barco era agitado pelo mar como se fosse uma rolha de cortiça perdida nas ondas. Os discípulos de Jesus, galileus de braços fortes, experientes no mar, acostumados a conduzir seus barcos em tempestades, nunca haviam encontrado uma tempestade como aquela. Embora fossem marujos experientes, os discípulos sentiram-se como criancinhas. Eles pensaram que não havia como contornar a situação. Tremendo de frio, seus músculos fervendo na tentativa de remar contra a tempestade, eles viram que estavam sendo arrastados para a morte. Os discípulos estavam certos de que iriam perder a vida. Foi então que focaram sua atenção em outra coisa. Eles desviaram o olhar da tempestade e olharam para Ele. Não havia ninguém mais no barco que pudesse ajudar. Será que Ele se preocupava? Eles clamaram: “Mestre, não Te importas com nosso iminente naufrágio? Não Te importas que não tenhamos nada em que segurar-nos, nada em que possamos confiar? Quando toda a nossa genialidade humana falha, Tu não Te importas?” Marcos 4:39 e 40 diz: “E Ele, despertando, repreendeu o vento e disse ao mar: Acalma-te, emudece! O vento se aquietou, e fez-se grande bonança. Então, lhes disse: Por que sois assim tímidos?” A única razão para temer a tempestade é você ficar remando o seu próprio barco, com o foco na tempestade. Quanto mais você olha para a ondas e as nuvens negras, quanto mais você escuta os trovões e vê os relâmpagos, mais temeroso fica o seu coração. Ellen White escreveu: “A fé viva no Redentor serena o mar da vida, e Ele nos guardará do perigo pela maneira que sabe ser a melhor” (DTN, p. 336). Se já houve um tempo para que ajustássemos nossas prioridades, esse tempo é agora. Se já houve um tempo de reajustar o foco de nossa visão, de saber que nosso coração é um com Deus, e de saber que Jesus está a bordo de nosso barco, esse tempo é agora. Paz e bem

Deus corrige seus amados.....


“Bem-aventurado o homem, Senhor, a quem Tu repreendes, a quem ensinas a Tua lei” (Salmo 94:12). Você quer ser feliz? A felicidade abrange todas as áreas da vida. Não é apenas um estado de espírito. É uma experiência real. Você pode ser feliz sempre. Cada minuto, cada dia, cada ano, apesar das circunstâncias e a despeito das dificuldades. A felicidade não é determinada por fatores externos, sejam positivos ou negativos. O salmista explica, no verso de hoje, que a felicidade está atrelada à repreensão e relacionada com o ensino. Ninguém aprende sem repreensão. Sem aprendizagem não existe felicidade. A felicidade não é algo que se alcança num segundo. É um longo caminho de aprendizagem que envolve descobrimento, renúncia e, muitas vezes, sacrifício. Infelizmente, desde a entrada do pecado, o melhor instrumento de instrução parece ser a dor. A criança aprende que o fogo queima quando experimenta a dor. O garoto aprende que correr desenfreadamente é perigoso quando leva um tombo ou bate a cabeça. Um dia ele cresce. E, quando seria factível pensar que aprendeu a lição, ele descobre que dentro de si existe uma natureza que, apesar de conhecer o caminho da felicidade, resiste a andar nele. Deus usa a repreensão para abrir os olhos da criatura rebelde e trazê-la de volta ao caminho. Existem pessoas que só se deixam encontrar por Jesus quando, exaustas, não têm outra alternativa. Qual é o propósito da repreensão? O Salmista responde no verso 13: “Para lhe dares descanso nos dias maus”. Isto me lembra as vezes em que tive de dizer “não” aos meus filhos, para livrá-los da dor e das frustrações. Está você vivendo hoje um momento difícil? Antes de se lamentar ou achar que Deus o abandonou, por que não faz um balanço da vida? Por que não tenta descobrir a causa? Se algo não está saindo conforme os seus planos, por que não pensar que Deus está preparando outros planos maiores e melhores do que os seus? Deposite a sua confiança em Deus, mesmo que tenha todos os motivos para “desconfiar”, porque: “Bem-aventurado o homem, Senhor, a quem Tu repreendes, a quem ensinas a Tua lei” (Sl 94:12). Paz e bem

Você já agradeceu a Deus hoje ?


“Graças a Deus, que sempre nos conduz vitoriosamente em Cristo e por nosso intermédio exala em todo lugar a fragrância do Seu conhecimento” (II Coríntios 2:14, NVI). Uma menina que havia recebido um frasco de perfume levou-o para fora a fim de mostrá-lo às suas amiguinhas. Escondeu-o atrás, nas costas, e disse: “Vocês não adivinham o que eu tenho!” Então, emocionada, segurou- o bem acima de sua cabeça. Suas companheiras exclamaram: “Imitação, é disso que se trata – imitação!” Suas coleguinhas haviam lido o rótulo do frasco. Mas uma disse: “É só faz-de-conta. Por que você não tira a tampinha? Então vamos saber se é de verdade ou não.” Quando tiraram a tampa e cada uma delas cheirou um pouco o frasco, uma delas disse triunfantemente: “Veja só, é de verdade mesmo!” Hoje existe a grande necessidade de que os cristãos removam a tampa do frasco e deixem que o mundo aspire a fragrância de Jesus, a Rosa de Sarom. Quando Ele vive no meu coração, as pessoas saberão que estive com Jesus, pois estarei exalando “em todo lugar a fragrância do Seu conhecimento”. Visualize esta passagem: “Deus… sempre nos conduz vitoriosamente em Cristo e por nosso intermédio exala em todo lugar a fragrância do Seu conhecimento.” Uma nota na Bíblia de Estudo da Nova Versão Internacional nos informa: “A imagem é a da marcha triunfal romana, na qual o general vitorioso conduz seus soldados e os cativos que trouxeram, em procissão festiva, enquanto as pessoas observam e aplaudem, e o ar está cheio do doce perfume liberado pelas especiarias queimadas nas ruas. Assim o cristão, chamado para o combate espiritual, é triunfantemente conduzido por Deus em Cristo, e é por intermédio dele que Deus espalha por toda a parte a ‘fragrância’ do conhecimento de Cristo.” O cristão é um frasco vivo de perfume. Nossa vida deve espalhar a suave fragrância de Cristo entre aqueles com quem entramos em contato. As pessoas não se impressionam tanto com o que cremos, mas sim com o que somos e com nossa maneira de viver. Quando convidamos Jesus para entrar em nosso coração, Ele vive Sua vida em nós, e aqueles que nos conhecem desejam ter aquilo que temos. Como resultado, quando as pessoas contemplam a sua vida e a minha, respondem entusiasticamente: “Veja só, é de verdade mesmo!” Paz e bem