Atalho do Facebook

FICAMOS ALEGRES COM SUA VISITA

ESPERAMOS, QUE COM A GRAÇA SANTIFICANTE DO ESPIRITO SANTO, E COM O DERRAMAR DE SEU AMOR, POSSAMOS ATRAVÉS DESTE HUMILDE CANAL SER VEÍCULO DA PALAVRA E DO AMOR DE DEUS, NÃO IMPORTA SE ES GREGO, ROMANO OU JUDEU A NOSSA PEDRA FUNDAMENTAL CHAMA-SE CRISTO JESUS E TODOS SOMOS TIJOLOS PARA EDIFICACÃO DESTA IGREJA QUE FAZ O SEU EXODO PARA O CÉU. PAZ E BEM

AGRADECIMENTO

AGRADECEMOS AOS NOSSOS IRMÃOS E LEITORES, POR MAIS ESTE OBJETIVO ATINGIDO, É A PALAVRA DE CRISTO SEMEADA EM MILHARES DE CORAÇÕES. PAZ E BEM

domingo, 23 de novembro de 2014

Ser fiel difícil, mas não impossível....


A fidelidade de Deus é incomensurável, inesgotável. Ela se mostra eterna na promessa universal da salvação daqueles que creem (João 3:10). Um Deus que embasa seu relacionamento com o homem a partir de alianças não poderia requerer do homem outra coisa se não também fidelidade, mesmo sabendo que o homem nunca poderá alcançar sozinho o padrão ideal deste seu desejo (Gênesis 9:9; 17:2; 17:11). Contudo, Deus convida o homem a traçar uma estrada de intimidade que é baseada na verdade de um amor capaz do ato de arrependimento, este convite, quando respondido de maneira afirmativa, permite ao homem em sua fidelidade imperfeita tornar-se a carta do convite de Deus, pois ele aplica ao seu coração o entendimento de sua lei ( Hebreus 9:15; 10:16). Elias no capítulo 18 de 1 Reis é um exemplo do convite de Deus à fidelidade através de nosso relacionamento com Ele. A passagem descreve uma Israel distante de Deus, sua política era corrupta, seu povo apostatava da fé genuína e a terra mantinha-se seca em desgraça, eram tempos difíceis; contudo, como profeta, Elias mantinha um relacionamento de intimidade genuína com Deus e a partir desta intimidade, Deus fez da fidelidade dele um convite ao povo de Israel para voltar a viver um relacionamento fidedigno com Ele. Diante das circunstâncias políticas de Israel, Elias foi chamado de perturbador por Acabe (1 Reis 18:17), mas diante da declaração não desvaneceu, ao contrário, mostrou o adultério espiritual dos governantes e se colocou como diferente daqueles que feriam à Deus. A fidelidade do profeta, mesmo imperfeita para com Deus - afinal, ele era humano, mostrou-se como um princípio de diferença em meio a devassidão da sociedade israelita. Em outro trecho do capítulo, ao desafiar os profetas de Baal na oferta de um sacrifício(1 Reis 19: 22-38), Elias continuou demonstrando sua convicção e intimidade com Deus. Com a falha dos profetas de Baal, sua fidelidade, manifesta na sua fé e nos seus atos, é usada novamente por Deus, agora para aquecer o coração de Israel ao ponto de que a nação abandone as moletas espirituais e se volte ao único capaz de sustê-los. Por fim, em meio ao problema de seca que assolava todo o território, a fé e a fidelidade de Elias foram usadas por Deus como farol de esperança para o povo e para terra. A fidelidade imperfeita e sua intimidade com Deus, foram respondidas com milagre e perfeição, as maravilhas do Senhor tocaram todos os personagens desta história, revelando o poder redentor de Deus. Podemos não ter a capacidade de nos mantermos sem pecar, entretanto, isso não deve ser barreira para uma vida de fidelidade, aquele que nos ama também é o que nos sustém e assim como ele agiu com Elias, pode agir conosco. A grande questão é se estamos fazendo tudo aquilo que podemos diante de Deus ou se estamos retendo parte do nosso coração e vivendo assim a infidelidade de uma intimidade falsa. Deus nos chama para sermos representantes da ação de sua fidelidade, sermos diferença, sermos convite à fé e farol de esperança, contudo, para isso, ele nos pede disposição de permanecermos fiéis, mesmo que imperfeitamente, e isso só é possível em verdade, intimidade, amor e generosidade. Oremos para que Deus aplique em nosso coração a sua vontade. Paz e bem