Atalho do Facebook

FICAMOS ALEGRES COM SUA VISITA

ESPERAMOS, QUE COM A GRAÇA SANTIFICANTE DO ESPIRITO SANTO, E COM O DERRAMAR DE SEU AMOR, POSSAMOS ATRAVÉS DESTE HUMILDE CANAL SER VEÍCULO DA PALAVRA E DO AMOR DE DEUS, NÃO IMPORTA SE ES GREGO, ROMANO OU JUDEU A NOSSA PEDRA FUNDAMENTAL CHAMA-SE CRISTO JESUS E TODOS SOMOS TIJOLOS PARA EDIFICACÃO DESTA IGREJA QUE FAZ O SEU EXODO PARA O CÉU. PAZ E BEM

AGRADECIMENTO

AGRADECEMOS AOS NOSSOS IRMÃOS E LEITORES, POR MAIS ESTE OBJETIVO ATINGIDO, É A PALAVRA DE CRISTO SEMEADA EM MILHARES DE CORAÇÕES. PAZ E BEM

terça-feira, 23 de abril de 2013

Lançado fora.


E o servo inútil, lançai-o para fora, nas trevas. Ali haverá choro e ranger de dentes. O texto completo está em Mt 25.14-30 e ilustra os investimentos que Deus faz antecipadamente em pessoas para o trabalho no seu reino. Resumindo, Jesus comparou o reino dos céus a homens que receberam investimentos para trabalhar em sua obra. Os talentos foram recebidos proporcionalmente segundo a capacidade de cada um para o exercício no reino. Os que receberam cinco e dois talentos trabalharam e foram recompensados. O que recebeu um talento enterrou-o e devolveu-o na hora do acerto de contas. Não penso aqui em desenvolver questões doutrinárias ou teológicas, mas tratar da atuação prática de cada pessoa no reino. Com clareza, vemos duas frentes de trabalho no reino com investimentos antecipados feitos pelo dono da obra. Uns trabalharam para o crescimento do reino e apresentaram relatórios elogiáveis e receberam um prêmio pelo que fizeram. Outros enterraram seus talentos. Ficaram meditando na severidade de Deus e pararam no tempo sem nada fazer para o crescimento do reino. Não posso avaliar o trabalho que tiveram estes homens para cavar um buraco para enterrar seus talentos, mas certamente molharam a camisa trabalhando contra o crescimento do reino. A avaliação que Jesus fez deles foi negativa, e eles não alcançaram graça para inclusão com os trabalhadores vitoriosos. A dica que Jesus dá aos leitores do texto é que no reino de Deus não há espaço para acomodados. Ele não aceita desculpas nem interage com os desprovidos de coragem para trabalhar no seu reino e os julga como incompetentes para desfrutarem das maravilhas de sua morada no Paraíso Celeste e aplica a palavra de desconforto quando ordena que sejam lançados nas trevas. Vamos fazer uma pergunta: Como está sendo utilizado o seu talento no reino? Para enterrar a habilidade de trabalhar no reino de Deus, não é necessário ir longe e cavar um buraco para isso. É só utilizar alguns recursos vindos do líder do outro reino. O uso deles gera alguns sintomas tais como abandonar a leitura bíblica; não ter tempo para oração; achar que a igreja está ficando muito chata com as longas missas celebradas; pensar que as mensagens televisionadas e outras virtuais substituem a comunhão no templo; estar insatisfeito para fazer serviço na igreja; enxergar os irmãos como pessoas inferiores a si; deixar de ir à igreja porque o irmão cometeu pecado que provocou escândalo; ignorar o perdão e amar o pecado. Não vou concluir esse texto, mas vou deixar uma proposta de Deus a Salomão em 2Cr. 7.14 que precisa mexer com o nosso coração para não sermos lançados fora: “Se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e me buscar, e se converter dos seus maus caminhos, então, eu ouvirei dos céus, perdoarei os seus pecados e sararei a sua terra”. Paz e bem

Aprender a esperar.


Em tempos de ansiedades avassaladoras, onde fantasmas assustam, supostas ameaçam enxergo, a insegurança grita, eu preciso aprender a esperar. Vivendo na era da velocidade, onde tudo pede pressa, urgências saltitam a minha frente e embaralham minha vista, a aceleração contínua pressiona e sinto-me atropelada, eu preciso aprender a esperar. Na época onde o instantâneo é exigência básica, o imediatismo comanda desejos e dita ritmos, quando poucas horas se tornam eternidade angustiante, eu preciso aprender a esperar. Numa sociedade onde o acúmulo é regra, onde conquistas são vitrines, onde ter ou parecer vale mais do que ser, eu preciso aprender a esperar. Quando o contexto é de uma suposta perfeição, onde o belo é padronizado, a ditadura da moda se instala com força, e o que não está pronto é desprezado, eu preciso aprender a esperar. Eu preciso aprender não o desespero da fome, mas a oportunidade de ser saciada e encontrar calmaria. Diante de dias maus que me arrancam lágrimas, que esfolam uma esperança enfraquecida pela dor prolongada, que furtam o sono que já foi tranquilo, eu preciso aprender a esperar. Esperar a noite da alma passar, o dia amanhecer, os raios de luz mostrarem novas perspectivas e renovarem os passos outrora cansados. Eu quero aprender a esperar, com toda esperança, a alegria que pode vir, que voltará após o amanhecer. Esperar que as lágrimas sejam secadas e que um caminho para novos risos se abram, e a celebração seja maior que antigos lamentos. Esperar por uma volta definitiva, daquele que assegurou-me um novo mundo, falou sobre a cura das nações, de um brilho eterno, onde não mais haverá espaço para noite, para assaltos, violências, injustiças, apenas um dia sem fim, sol da eternidade. Eu preciso aprender a esperar. Esperar a libertação das ilusões, esperar a novidade de vida. Enquanto espero, aprender. Aprender a conhecer e me solidarizar com as noites de tantos. Aprender com minhas fragilidades e oferecer suporte ao necessitado, não porque eu seja melhor, mas porque espero o melhor. Nessa esperança me reparto, e sou misteriosamente acrescida. O que me estimula a aprender melhor, a viver atenta, a observar as estrelas, os sinais dos tempos, a me aproximar em esperança viva. Ensina-me, Senhor. Por: Tais Machado