Atalho do Facebook

FICAMOS ALEGRES COM SUA VISITA

ESPERAMOS, QUE COM A GRAÇA SANTIFICANTE DO ESPIRITO SANTO, E COM O DERRAMAR DE SEU AMOR, POSSAMOS ATRAVÉS DESTE HUMILDE CANAL SER VEÍCULO DA PALAVRA E DO AMOR DE DEUS, NÃO IMPORTA SE ES GREGO, ROMANO OU JUDEU A NOSSA PEDRA FUNDAMENTAL CHAMA-SE CRISTO JESUS E TODOS SOMOS TIJOLOS PARA EDIFICACÃO DESTA IGREJA QUE FAZ O SEU EXODO PARA O CÉU. PAZ E BEM

AGRADECIMENTO

AGRADECEMOS AOS NOSSOS IRMÃOS E LEITORES, POR MAIS ESTE OBJETIVO ATINGIDO, É A PALAVRA DE CRISTO SEMEADA EM MILHARES DE CORAÇÕES. PAZ E BEM

quarta-feira, 17 de abril de 2013

Deus não nos deixa sozinhos.


A vida é uma grande emoção. Na vida, eu aprendi que existem caminhos mais curtos e mais longos, mas não existe caminho nenhum que não leve a Deus, ele está em todos os caminhos da sua vida. Talvez você ache que está no pior caminho, o pior que já escolheu. Talvez você ache que alguns caminhos por onde você andou foram os piores, mas eu lhe digo: Deus não lhe deixou sozinho em nenhum deles, ele nunca abandona. O que ele quer fazer é tirar de você essa baixa auto-estima, que faz com que você não ame a si mesmo por ter escolhido um caminho mais longo. Deus não deixou de lhe amar um segundo na vida, em nenhum momento. Em qualquer lugar por onde você tenha andado Deus lhe amou até aqui e lhe ama daqui em diante. Mas a gente tem mania de se condenar, de achar que escolheu errado, que não fez o melhor. Na verdade, nós tentamos fazer o melhor, mas tentar, às vezes, não é conseguir. Nós somos humanos e é por isso que Deus se entregou na cruz por nós. Se fôssemos perfeitos, ele não precisaria morrer por nós. Se nós não escolhêssemos caminhos mais longos, ele não teria precisado encurtar o caminho numa cruz. Se ele não soubesse que nós seríamos capazes de errar todos os dias, ele não morreria por nossos pecados.Ele morreria pela ignorância, por qualquer outra coisa, menos pelo pecado. Se você pecou. Se um dia você errou o caminho, a culpa não é sua, porque Deus morreu pelos pecados. Ou a morte de Deus é em vão ou você é um injusto com você mesmo. Você não precisa, nunca mais, carregar um peso que não é seu. Você não precisa carregar uma opção que você não escolheu a melhor um dia. Daqui em diante, Deus quer fazer uma história nova com você. Saiba que, em qualquer opção da sua vida, ele vai lhe amar. E se você não escolheu o melhor caminho, a misericórdia dele vai ser tão grande que vai abrir os seus olhos rapidamente, para que você enxergue a melhor opção: se é voltar por outro caminho ou sair rápido desse daqui. Eu peço a Deus que restaure o coração dessa Igreja, que tire o peso do pecado que carregamos, que nos dê o prazer de sentir a redenção que é nossa. Que possamos tomar posse da cura que recebemos na cruz. Deus está aqui para transformar tudo isso que foi passado de dor em futuro de amor. O nosso presente é feito de futuro e passado, somos nós que decidimos o quanto de cada um faz parte de nossas vidas. Deus propões que a gente diminua a carga de passado no nosso presente e aumente a dose de esperança do nosso futuro. Te pedimos, Senhor: olha por esse povo e cura esses corações. *pregação durante show do Anjos de Resgate em Franca (SP) Eraldo Mattos

Mais do mesmo ! ?




Ontem estava eu assistindo televisão em casa, procurando algo diferente, algo novo algo que me desse ânimo quando me deparei, em uma das emissoras católicas que pegam em casa, com um rosto novo, uma pessoas desconhecida cantando o que parecia uma musica de louvor. Pensei comigo mesmo, vou assistir, conhecer o trabalho, pois uma das coisas que mais gosto de fazer é procurar novos sons, outros sons, outra musica que me faça sentir bem, coisas que meus ouvidos aprovem como inovadores e autênticos. Após assistir mais da metade do programa e tendo o visto cantar muito, fiquei realmente frustrado, um sentimento que tenho sentido com muita frequência em nosso meio católico, pois nessa minha busca maluca por coisas diferentes ou pelo menos autenticas, tenho encontrado muita "imitação". Vou explicar meu ponto de vista, imagine o seguinte fato, você tem a opção de comprar um aparelho de mp3, e com o mesmo preço estão a venda o Ipod, e um mp3 coreano. A pergunta seria, o original ou a imitação coreana? Entre tantas outras comparações que eu possa citar, a resposta seria sempre a mesma, eu fico com o original. Levante a mão ai quem não concorda comigo. Pois é, lembro-me também quando eu cursava minha faculdade de musica, e mais particularmente as aulas de pratica em conjunto onde meu professor sempre falava a todos, mas em especial aos cantores, para de imitar o autor, você é um intérprete, interprete. Ou seja de a sua versão para aquela musica. O mesmo leio inclusive em revistas especializadas para guitarristas, baixistas, bateristas, sempre alguém dizendo não copie fulado, seja você mesmo. Trazendo estes exemplos para o nosso raciocínio, quando tocamos, cantamos ou recitamos a obra de alguém, podemos e devemos não imitar o autor, mas sim dar nossa cara, em nosso caso a canção, não apenas ser uma repetição, reproduzir fielmente, copiar, mas darmos sentimento, verdade, e fidelidade a nossas ações, tanto cantando, quanto tocando. Precisamos transmitir a verdade de nossos corações, e não do coração dos outros, o coração dos que pregaram bonito na TV ou no grupo de oração. E em nossos pensamentos ainda ouso em ir mais além, em nossa própria musica precisamos passar nossa verdade, em arranjos, vozes, solos, enfim em tudo. Vejo muito hoje em dia, músicos buscando arranjos parecidos, entre si e parecidos com os da Canção Nova, ou Ziza, ou Walmir Alencar. Pessoal, mais uma vez, vocês preferem o original ou a copia? Conter influência significa ter traços e não ser igual a certas pessoas. Hoje recebemos muitos trabalhos que lembram muito Dunga, Anjos de Resgate, Vida Reluz e Walmir Alencar, Eterna, ou até mesmo muitas coisas evangélicas, mas pouca coisa com a cara realmente dos artistas que as mandam. Estamos vivenciando uma época de entre safra, uma época onde pouca coisa tem realmente identidade. Poucos têm a coragem mostrar a cara, e entram com uma mascara com o rosto das pessoas ou grupos que citei acima, achando que assim seriam mais agradáveis ou até mais reconhecidas. Mesmo que não enxergam isso no fundo se espelham tanto em algumas pessoas que passam a se confundir com o reflexo. Personalidade vai muito além do que roupas o tipo de voz, mas entra por atitude, arranjos, timbres. Quantas e quantas musicas por ai começam iguais, com arranjos bons mais que lembram muito outros artistas, quantas vozes lembram outros cantores, até musicas que lembram outras. Galera, vamos melhorar a qualidade da musica católica e expandir horizontes, não fiquemos presos a "modismos" da música secular, ou a "mesmices" da música gospel, mas sim sejamos fiéis ao que a musica pede, ao novo que chama e a qualidade que clama. Guilherme Montanari Portal Católico

Músico o primeiro a chegar e o último a sair.


Arrasta a caixa de som, solda o fio, faz a “gambiarra” para ligar o microfone... Essa é a rotina de milhares de ministros de música antes de qualquer evento. Antes de começar a Missa, o grupo de oração ou a procissão, o ministro de música já chegou. Ele é motorista, roadie, eletricista, instrumentista e cantor, tudo para que a graça de Deus alcance e toque os corações por meio da música, instrumento poderoso, flecha que acerta o alvo levando o mais importante: a Palavra de Deus. Canto final, hora da paz de Cristo para todos que se despedem e vão para suas casas, menos para o ministro de música, pois este tem de limpar o instrumento e guardá-lo, desarmar o som e ainda dar carona para quem mora longe. Diz para mim se não é assim que acontece toda semana? Além de tudo isso, há a música propriamente dita. É preciso ensaio, repertório, oração, esforço e mais ensaio. É daí que sai a eficácia da sua missão. A sua fidelidade, semana a semana, gera algo muito maior do que você pode enxergar. Ser ministro de música é isso, é estar a serviço. Quanto mais você se colocar a serviço, mais Deus lhe dará a eficácia. Não é só estar atrás do microfone e cantar; é preciso ter o que cantar e lutar por isso. Deus, que o chamou para esse serviço, acredita na sua música. Você também acredita nela? Deus abençoe o seu ministério. Ana Lúcia Teixeira Missionária da Canção Nova, integrante do Amor e Adoração e professora de canto licenciada em música.

O que é necessário para entrar no ministério de música?


Certo dia, um amigo que gostava muito de música e frequentava a paróquia e o grupo de oração perguntou-me: “O que é necessário para entrar no ministério de música?”. Apesar da pouca experiência como ministro de música, a resposta me veio logo à boca: “É preciso ter dois ouvidos: um para a música e outro para Deus”. Muitas pessoas admiram o ministério de música por alguns motivos, tais como: o poder que a música tem de envolver os nossos sentimentos e prender a nossa atenção; a beleza dos cânticos e dos sons dos instrumentos; o estar “à frente” diante do grupo de oração; entre outros. E muitas dessas pessoas desejam também fazer parte desse ministério. O primeiro passo a dar é saber se temos o “dom”. As pessoas já nascem com ele e durante sua vida o aperfeiçoam, principalmente no que diz respeito ao cantar. É importante verificar se temos noções de ritmo, melodia, afinação, tanto para cantar quanto para tocar. Nesse caso, chamo essas características de “ter ouvido para a música”. Como é precioso, e até mesmo necessário, entrar numa escola e estudar música, aprender e aperfeiçoar o instrumento, conhecer e aplicar técnicas vocais, etc. Se você tem condições de frequentar essas aulas, não perca tempo, invista nisso. Devemos dar o melhor para Deus. Pratique muito, ensaie, amplie o seu repertório, aprenda novas canções, enfim, invista no dom. O dom de Deus cresce em nós à medida que o praticamos. Até aqui, demos um passo quando descobrimos que somos músicos. No entanto, para ser ministros [de música] precisamos ter ouvido para Deus. Assim como o nosso ouvido precisa estar afinado para a música, como servos de Deus, ele também precisa estar afinado para a voz do Senhor. Servimos ao Rei dos reis e por isso precisamos escutar o que Ele tem para nos dizer, Suas ordens, Seus desígnios e desejos. Como ter um ouvido para Deus e aperfeiçoá-lo? Através da oração. Somente com uma contínua e crescente vida de oração seremos capazes de nos tornar íntimos do Senhor, escutar a Sua voz e permitir que Ele nos use de acordo com Sua vontade. Por isso, da mesma forma que você estuda a música, tenha uma vida de oração. De músicos o nosso mundo está cheio, homens e mulheres de vozes belíssimas que nos encantam com suas canções, que causam nossa admiração ao tocarem instrumentos, mas não preenchem nosso coração, pois essa ação somente Deus pode realizar. A natureza nos deu dois ouvidos, que seja um para a música e outro para Deus. Esse é o ministro de música!Deus os abençoe, Com orações, Emanuel Stênio Comunidade Canção Nova

domingo, 14 de abril de 2013

O caminho da conversão.


Salve Rainha A Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo a todos! Olá pessoal do suporte do blog, Chamo-me Dênis, tenho 26 anos e sou da cidade de São José de Rio Preto/SP. Estou enviando este e-mail para contar sobre a minha conversão. Ainda não sei bem ao certo os motivos que me levaram a querer escrever o testemunho, mas, em parte, sinto muita vontade de agradecer ao Padre Paulo e a toda a equipe por esse belíssimo trabalho de evangelização e esclarecimento dos cristãos. Nasci sob uma educação cristã, meus pais eram da Congregação Cristã no Brasil, mas, com o passar dos anos, a rotina aos cultos da igreja foram diminuindo e mais precisamente quando tinha 12 anos, quando meu pai foi assassinado, sofremos a maior queda de nossas vidas. Desse momento em diante, eu, minha mãe e meu irmão só fomos nos afastando, cada vez mais, da graça e da convivência perto de Deus. Com o passar dos anos, o coração só foi sendo contaminado cada vez mais, com raiva e ódio por ter perdido meu pai de tal maneira. As brigas aumentavam em casa, a desunião tomou conta da família por muitos anos, até que o mínimo de respeito e compreensão começassem a ser restabelecidos novamente. Então, com 18 para 19 anos, fui para São Paulo estudar. Profissionalizei-me, comecei a trabalhar e eis que tudo parecia começar a tomar rumo na minha vida. Bom, ao menos era o rumo que eu queria. Minha vida começou a ser o trabalho, horas exaustivas de trabalho, pois achava que seria isso o que traria um bom fundamento em todas as outras áreas, se fosse alguém bem sucedido e com uma vida financeira estabilizada conseguiria ajeitar todo o resto facilmente. Tinha uma namorada que pensava da mesma forma, e caminhávamos juntos sobre esses preceitos. Mas por todos esses anos, o meu coração sempre estava inquieto, nunca batia na mesma direção que meu raciocínio e minhas condutas estavam me levando. Por mais que minha vida material avançasse e fosse agregando bens a ela, nunca me sentia completo, ainda sim me permanecia um aspecto de morte interior. Quando completei 24 anos, foi aí que caí do cavalo bonito. Descobri que tinha um tumor no intestino e precisei me afastar do trabalho. Morava em São Paulo, mas só tinha condições de me tratar em Rio Preto e nessas condições minhas economias foram se acabando, meu antigo relacionamento foi se dificultando ao ponto de tudo na minha vida zerar. Meu dinheiro tinha se acabado em virtude dos tratamentos e tantas outras despesas, minha vida profissional ficou paralisada, meu antigo relacionamento se acabou. Bom, em vista de todas essas dificuldades, não me vinha outra coisa na cabeça senão buscar a Deus para encontrar forças para suportar essa fase. Então comecei a frequentar novamente a Congregação Cristã no Brasil, pois era a única igreja a qual eu era familiarizado, nunca tinha frequentado nenhuma outra. E foi então que comecei a viver esta experiência através da oração e sentir a consolação Divina, foi então que meu coração já não mais batia em outra direção, mas adorava repousar nas mãos do Pai, foram momentos maravilhosos e breves esses que duraram por alguns dias, aconteceram outros episódios também, mas de maneira tão pessoal que nem sei como poderia explicá-los, mas tenho certeza que vocês me entendem, vocês devem ser todos santos aí, devem trabalhar recitando o rosário...em LATIM! Mas, enfim, a história não acaba aí: comecei então a querer me batizar, pois como vocês sabem os evangélicos não batizam crianças e quando eu tinha idade para o fazer, já me encontrava bem afastado. Comecei então a rezar pedindo a Deus que me desse a graça de me levar às águas do batismo quando fosse do agrado d'Ele, pois interiormente me sentia confuso com certos preceitos da Congregação Cristã no Brasil e, sinceramente, nunca consegui ver sentido nas pessoas que saem pulando de uma religião para outra, de um batismo para outro, como se o Deus que ela tivesse encontrado fosse falso, mesmo a maioria das igrejas protestantes sendo o batismo pela Santíssima Trindade, isso nunca entrou na minha cabeça! E sempre pedi a Deus que queria conhecê-lo verdadeiramente, para que não me deixasse ser enganado por falsas doutrinas ou doutrinas incompletas. Então grandes dúvidas começaram a assaltar meu coração, dúvidas de toda alma, do pecado original. Porque eu ouvia testemunhos de evangélicos que se tornavam católicos em vista de milagres e vice-versa, então eu pensava: "oras, isso tudo é uma maçaroca só, Deus age em todos, basta buscar sinceramente!" Foram dúvidas que me traziam a dificuldade para crer em Deus, porque pensava: "ora, se Deus é perfeição e não erra em seus julgamentos, nunca teria deixado mais de uma igreja verdadeira e se os milagres são de certa forma, Deus falando mais grosso para dar uma direção pra gente aqui na terra, bom, então, haveria de se dar créditos visto que se tem testemunhos de milagres extraordinários em igrejas protestantes. Ao menos eu os escutava na Congregação Cristã no Brasil". Bom, em vista disso ao menos eu não deixava de perseverar nas orações e na busca do entendimento das Sagradas Escrituras. E no meu coração eu começa a me sentir sugestionado a estudar...e foi o que fiz. Comecei a estudar primeiramente a história da Congregação Cristã no Brasil, pois eu frequentava a igreja e nem ao menos sabia da história dela. Tamanha ignorância! Logo em seguida comecei a estudar a Santa Igreja Católica e a Reforma Protestante e comecei a entender a desfragmentação da coisa e a distorção que foram acarretando o surgimento de tantas denominações. Nessa época já acompanhava seu blog, e obtinha muitas respostas através de seus programas, mesmo frequentando igreja evangélica na época, não ia atrás nem tinha o desejo de ofender outros credos, acusando-os de idólatras e outras coisas, mas simplesmente queria respostas e entender a fundo o porquê das coisas! E devo dizer, Padre Paulo, que todo programa quando ouvia o senhor dizendo: "Pois bem, meu amiguinho protestante"... Eu, então, fazia de tudo para que os protestantes entendessem o pensamento da Santa Igreja, devo dizer que sempre caía na risada, porque eu era um amiguinho protestante na época. Em certo tempo recebi um convite de um amigo que era católico e que hoje é meu padrinho. Um convite para irmos a um retiro espiritual num Carmelo em Minas Gerais, no qual Deus veio me dar a graça de conhecer os frades, e lá poder esclarecer minhas dúvidas, poder entender as riquezas da Santa Igreja também. Foi quando comecei a ter um contato mais próximo com o Santíssimo Sacramento enquanto fazíamos a Liturgia das Horas. Quando voltei já estava bem saturado de tudo, tinha estudo a história, tinha lido vários livros de Santos, alguns me marcaram bastante como Santa Edith Stein, "Ciência da Cruz", Santa Faustina, Padre Pio, Santa Teresa de Jesus, Madre Teresa Calcutá etc... E já se havia passado um ano dessa busca lendo refletindo e principalmente pedindo a Deus em oração a graça do Batismo, então eu cessei, tinha me cansado de buscar e ler tantas coisas e não chegar num parecer sobre qual religião eu seguiria e me batizaria. Parei totalmente, já não lia nem via mais nada ligado à religião, pois já se tinha passado um ano pedindo o Batismo a Deus e nada acontecia, ao invés disso, as minhocas só pareciam crescer na minha cabeça. Então, dias depois, quando estava em oração, quando eu insistia em pedir o Batismo a Deus, comecei a sentir uma alegria no coração, eu simplesmente sabia que era em relação ao Batismo, mas não sabia a maneira que se daria. Então eu dizia a Deus: "Mas Senhor, eu não vejo luz, estou confuso mais do que nunca e não vejo como poderia se dar o Batismo em certa altura! E em sua doçura e amor, Deus me dava esse sentimento de alegria acerca do Batismo que estava chegando, era tudo que sentia, nem sei explicar, eu sabia que se daria, mas não sabia quando, nem como, nem onde! Dias depois de estar mergulhado nessa sensação, era por volta de 15h, senti um desejo incontrolável de ir à Capela do Santíssimo, um desejo tão forte de me ajoelhar em frente ao Santíssimo e apenas ficar ali, adorando o Senhor! Bem, o desejo foi tanto, que larguei o trabalho e corri para a paróquia, isso era uma tarde de quinta-feira. Depois de uma breve adoração, me dirigi à secretaria e disse que gostaria de fazer as aulas de Catecismo para me Batizar, e então, pela Divina Providência, talvez para não me restarem dúvidas a secretária me disse: "Olha você buscou na hora certa, porque vamos começar uma turma na segunda-feira, essa será a última turma do ano". Então, irmãos, no dia 10/11/2012 recebi com grande alegria o sacramento do batismo e logo no dia seguinte Crisma e 1a. Comunhão! Bom, Padre Paulo e todos os que lerem isto, não consigo nem descrever a alegria que tenho em meu coração de ser Católico, a certeza que tive no coração com tudo isso é de que só existe plenitude da vida cristã dentro da Igreja Santa Católica e praticando seus sacramentos. Eu acredito que não seja o único que já tenha lhe escrito pra te contar isso e muito menos que serei o último. Mas escrevo para agradecer, pois me lembro bem que disse certa vez que orava todas as noites pela conversão dos evangélicos, bem estou te agradecendo pois uma dessas orações me atingiu rsss.... e também para dar testemunho na esperança que lhe sirva como combustível para continuar na luta! Um grande abraço, que Deus o abençoe e guarde todos vocês! E, Padre, se algum dia for vir pra Rio Preto, espero que Deus me dê a graça de conhecê-lo. Paz e Bem! Por: Padre Paulo Ricardo.