Atalho do Facebook

FICAMOS ALEGRES COM SUA VISITA

ESPERAMOS, QUE COM A GRAÇA SANTIFICANTE DO ESPIRITO SANTO, E COM O DERRAMAR DE SEU AMOR, POSSAMOS ATRAVÉS DESTE HUMILDE CANAL SER VEÍCULO DA PALAVRA E DO AMOR DE DEUS, NÃO IMPORTA SE ES GREGO, ROMANO OU JUDEU A NOSSA PEDRA FUNDAMENTAL CHAMA-SE CRISTO JESUS E TODOS SOMOS TIJOLOS PARA EDIFICACÃO DESTA IGREJA QUE FAZ O SEU EXODO PARA O CÉU. PAZ E BEM

AGRADECIMENTO

AGRADECEMOS AOS NOSSOS IRMÃOS E LEITORES, POR MAIS ESTE OBJETIVO ATINGIDO, É A PALAVRA DE CRISTO SEMEADA EM MILHARES DE CORAÇÕES. PAZ E BEM

sexta-feira, 26 de março de 2010

O QUE FIZEMOS DA PALAVRA ?

Escrevo este artigo como uma confissão de um pregador aprendiz. Espero que edifique sua vida.




Quando fiz seminário, umas das disciplinas que mais me atraíram foram a "hermenêutica e homiletica". Até hoje amo estas disciplinas. Sempre me dediquei aos preparos dos sermões, sempre me preocupei com a excelência e outros princípios que aprendemos no seminário e em nossas igrejas.



Mas de um tempo para cá, a palavra de Deus tem me confrontado sobre minha maneira de pregar, e me fez enxergar como a pregação e pregadores estão em falha e com deficiência. O culpado disso somos nós, ministros da palavra de Deus.



Confesso! Por algumas vezes já pensei que pregava razoavelmente, mas quando o patrão me chamou e pediu para ir até em sua sala que está no céu; e com uma placa tipo assim “ Diretoria” ; há meu Deus... pensei:

- O que Ele quer comigo ?

- O que fiz de errado ?

- Será que vai assinar minha carteira como pregador ou vai me dizer que não fui chamado para ser ministro da palavra ?

- É hoje ....



Imagine comigo a cena. Caminhando pelo céu e aproximando da sala de Deus! De repente Ele abre a porta e me pede para sentar, me cumprimenta, diz que me ama eternamente, da um belo sorriso e olha nos meus olhos e me diz que vai direto ao assunto com a seguinte pergunta: O QUE VOCÊ ESTÁ FAZENDO COM A MINHA PALAVRA ?



Ai pronto, as pernas tremem, o coração acelera, ás lagrima rolam e Ele nos mostra claramente que tipo de pregador que estamos sendo e compreendemos melhor a seriedade de ser um ministro da palavra de Deus.



Se hoje Deus, lhe chamasse na sala dEle e lhe fizesse esta mesma pergunta:

- O que estamos fazendo com sua palavra ? Qual seria sua resposta ?



Sai da sala com uma conclusão:

Não estamos manejando bem as santas escrituras.



Em nossas pregações estamos falando mais de nós, de nossos diplomas, de nossas experiências, dos livros que lemos, de nossas boas ações; e infelizmente estamos deixando Jesus sentado e ouvindo nossos sermões, enquanto o tema principal deveria ser sobre Ele e por Ele.



Estamos cansando o povo de Deus por nos faltar tempo de entrar em nosso quarto, dobrar nossos joelhos e pedir ao Senhor que renove nossa mente e coração.

Os púlpitos de muitas igrejas estão sem lenha e fogo, estamos jogando água de incredulidade no altar e na palavra de Deus.



Muitos de nós não lemos mais a bíblia para ouvir Deus falar, e quando lemos, é para buscar temas de sermões.



Estamos pregando apenas com a cabeça, com o conhecimento, estamos deixando o Espirito Santo de lado, não usamos o coração, não sensibilizamos com a dor do próximo.

Precisamos buscar a pureza da palavra de Deus. Precisamos pregar mais de salvação e diminuir os sermões de prosperidade materialista.



Precisamos voltar á humildade, abandonar a inveja, prestarmos atenção quando outros estão pregando.



O nosso coração precisa ser incendiado com o fogo do Espirito.



Precisamos ter mais alegria em nosso púlpito. Precisamos pregar com mais entusiasmo em nossa própria igreja e não apenas quando formos pregar em outras igrejas. Tantas vezes nossa pregação é pensando na quantidade de pessoas que estarão presente.



Seja sincero com você mesmo pregador, até você já enjoou da suas pregações. Tantos sermões artificiais, pregamos uma coisa e vivemos o oposto que pregamos.



O que estamos fazendo com a palavra de Deus ?



Deus quer renovar á você e a mim. Por amor á Deus, seja sincero contigo mesmo.

Senhor, hoje lhe suplicamos, tire nossas máscaras. Renove nossas forças, nos leve de volta ao primeiro amor.



Precisamos urgentemente subir no púlpito e pedir perdão á nossa igreja pelo fato de não estamos alimentando o rebanho do Senhor como o Sumo Pastor deseja.



Não importa se as pessoas lembrarão-se de nós, o que importa é que elas se lembrem da mensagem proclamada no nome de Jesus. O importante não é o pregador, mas sim á palavra de Deus.



Jesus falou: “Passará o céu e a terra, porém as minhas palavras não passarão” (Marcos 13.31).

Não procure alcançar fama, procure penetrar no coração dos ouvintes através do poder da palavra de Deus.



Obrigado por sua atenção. Esqueça de mim, mas nunca se esqueça deste dia em que o Senhor lhe chamou para lhe perguntar: O que estás fazendo com a palavra de Deus ?



Um grande abraço em Cristo Jesus.

SOMOS UM EM CRISTO

"Não há judeu nem grego, escravo nem livre, homem nem mulher; pois todos são um em Cristo Jesus" (Gl 3. 28).




O texto está falando de unidade [todos são um], um assunto que radicaliza opiniões, causa divisões, desentendimentos, etc.



Usemos como exemplo de unidade a vida conjugal, "tornam-se os dois um na carne" (Gn 2. 24), mas nem por isso perdem a sua individualidade.



Entendemos que essa expressão "unidade", tanto neste contexto quanto em outros, não representa dizer que, ao haver consenso em alguns aspectos [sentimentos, pensamentos, propósitos, etc.] deixa de existir um ou outro para se formar um novo ser. Então, essa unidade que alguns já alcançaram e outros reivindicam, na verdade é "comunhão".



O texto bíblico acima aborda a "unidade" em Cristo; não uma união qualquer, é unidade dos seguidores de Jesus [e não de outros credos]. Não é uma unidade dos seguidores de Pedro, Paulo, Cefas, Apolo, mas de Cristo (I Co 1. 12).



Jesus, na sua oração sacerdotal (Jo. 17), fala insistentemente nessa unidade, deixando sempre claro que se refere aos Seus seguidores; tanto os daquela época, como os que se tornariam cristãos através da pregação da Palavra de Deus, os que se convertessem ao cristianismo.



Também, nesse contexto, essa unidade não implica em união [fusão] de "instituições", ou seja união de denominações cristãs, para se tornarem institucionalmente uma só. Eis aí o grande "nó" da questão, e que tem causado desentendimentos, cisões, etc.



Esse "somos um em Cristo" não implica em união formal, institucional. Essa unidade é como a união de um homem e uma mulher, em casamento, tornam-se um em comunhão, pensamentos, sentimentos, mas não perdem a sua individualidade.



Na oração sacerdotal, Jesus frisa bem a questão da unidade que Ele está pedindo ao Pai, unidade de Seus seguidores; unidade em Espírito, sentimentos, propósitos, comunhão; não "unificação".



Não faz muito tempo, se reuniram representantes do cristianismo, judaísmo, islamismo, budismo, hinduísmo, e outras "crenças" para orarem em conjunto [ao mesmo “deus” (sic)] por uma causa comum.



A que "deus" estavam orando? Ao Criador do céu, da terra, do universo, e de tudo o que neles há [o Deus do judaísmo e do cristianismo], ou aos "deuses" das outras crenças?



Não cremos que judeus e cristãos estivessem orando a Buda, ou aos milhões de deuses do hinduísmo. Não cremos que os budistas estivessem orando ao Deus dos Cristãos e dos Judeus!



Voltando a João 17, vamos destacar o que dissemos acima e que Jesus frisou, junto ao Pai, em sua oração: "a fim de que ele conceda a vida eterna a TODOS OS QUE LHE DESTE" (v. 2), isto é, os seus seguidores, os cristãos;



"Manifestei o teu nome AOS HOMENS QUE ME DESTE DO MUNDO". (v. 6). Novamente são os cristãos; É por eles que eu rogo; não rogo pelo mundo, mas por AQUELES QUE ME DESTE, porque são teus" (v. 9). Aqui claro está que Ele não está orando pelos não cristãos.



"Eu lhes tenho dado a tua palavra, e o mundo os odiou, porque eles não são do mundo, como também eu não sou" (v. 4). Agora Ele faz uma distinção dos seus seguidores em relação aos não seguidores [o mundo], o mesmo ocorrendo no v. 16: "Eles não são do mundo, como também eu não sou".



"Não rogo somente por estes, mas também POR AQUELES QUE VIEREM A CRER EM MIM, por intermédio da sua palavra; a fim de que todos sejam um; e como és tu, ó Pai, em mim e eu em ti, também sejam eles em nós; para que o mundo creia que tu me enviaste" (Jo 17. 20-21).



Os dois últimos versículos sintetizam que Ele estava orando pelos cristãos presentes, à época, e futuros: seus seguidores, e não pelo mundo [não cristãos].



"Pai, a minha vontade é que onde eu estou, estejam também comigo OS QUE ME DESTE para que vejam a minha glória que me conferiste, porque me amaste antes da fundação do mundo" (v. 24).



É a última referência de sua oração em que fica patente que Ele intercede pelos seus seguidores. Assim, a mensagem que Ele nos deixa, em todo o contexto neo-testamentário, é de unidade dos Seus seguidores presentes, passados e futuros; e a evangelização dos seguidores dos demais credos para que, ao se converterem a Ele, se tornem "família de Deus" (Jo 1. 12), e, aí sim, sejam um, como cristãos, como Ele é um com o Pai.



Quanto aos não cristãos, Jesus nos comissionou a fazê-los discípulos, ensinando-os (Mt 28. 19); comissionou-nos para pregarmos para eles (Mc 16. 15); e deu-nos poder, através do seu Espírito, para que d’Ele testemunhemos (At 1. 8).



Nessas três faces do "comissionamento",ou seja ensinar, pregar e testemunhar, Ele mostrou seu desejo para com os seguidores de outras "crenças", que eles sejam alcançados pelos Seus seguidores, se convertam a Ele, e, então partícipes da família de Deus, pela Graça, se tornem então favorecidos pela petição de que sejam um com os demais cristãos, como Ele e o Pai são um (vs. 20-21).

quarta-feira, 24 de março de 2010

SÓ O AMOR CURA


Acho que a pior dor que podemos ter é a dor da alma, da traição, da rejeição, da perda, da humilhação, dores essas que seguem conosco nos caminhos de nossas vidas, que chegam sem pedir licença... cortes que vão cicatrizando, mas deixando marcas em nós.




Dores alimentadas por histórias mal resolvidas, encontros apressados, adeuses sem palavras, dores que envelhecem nosso ser, onde parece que ainda não estavamos preparados para ser, dores que não nos deixam viver e que nos paralisam, há dores de tirar o fôlego até mesmo quando o ar encontra-se puro.



Dores vividas quando ainda não estávamos preparados para viver, dores de desamores, dor do ódio, dor da mágoa, dor da ingratidão, dor da porta fechada, dor da covardia alheia ou dor da própria covardia, dor da morte avisada ou dor da morte inesperada, dor da solidão presente, ou dor da multidão calada, dores que aparecem, dor da distância ou dor da presença muda.



As dores chegam, ficam e não vão, dores pequenas que latejam por uma vida inteira, dores que vivem em nós como se já tivéssemos nascido com elas.



A dor na alma, ou da alma, fica, mas não pode ser maior que aquilo que faz o coração pulsar, lembro de uma frase linda: A vida inteira de inverno valeria a pena mesmo se fosse para ter um dia apenas de primavera.



Toda uma vida de dor, vale a pena se houver um dia de amor, mesmo que for apenas o amor pela esperança, isso já vale o desejo de viver o amor.



Deus amou, e ama Seus filhos de tal maneira que mandou Seu único Filho para mundo para nos salvar, bíblico e vivido. Sempre, me questiono sobre o amor de Deus, o mistério do amor de Deus é tão grande quanto o mistério que envolve a dor da alma humana, porém a dor da alma fica leve quando se pensa na grandiosidade do amor de Deus, esse amor que cura, que reconstrói, que levanta, quando nos aproximamos do amor de Deus, tudo fica secundário. O amor de Deus por nós nos cura e o amor que podemos alimentar por Deus nos salva.

PROFÉTAS


Dias desses uma pessoa bem vestida fazia sua caminhada ou ia para seu lar, enfim. Escutava alguma música com seus fones e cantarolava alto, algo que não pude distinguir. Minha primeira reação foi de riso: como alguém podia cantar como se estivesse em casa algo que nem mesmo os que estavam ao seu redor podiam entender? Então pensei que se aquilo fosse motivo de loucura aos olhos de outros, não seriam necessariamente aos seus próprios. E mesmo que ela fosse impedida, depois mais adiante ela retornaria a fazer aquilo que lhe agradava, mesmo que em outro dia ou lugar. Eu não conhecia tal pessoa, mas o Senhor sim. Ela poderia ser uma cristã gritando aos quatro ventos as maravilhas de Deus, tendo ouvidos para a escutarem ou não. Eu a vi como louca.




Em Cristo também somos vistos como loucos pelo mundo? Estamos assentados entre pecadores e malfeitores, gente expulsa da sociedade, expurgada dos seus lares, ou somente nos vemos sempre rodeados de conhecidos e irmãos cheirando a rosas? Caminhamos ao lado daqueles que choram nas esquinas, ou continuamos com nossos Nikes e Adidas da vida bem limpinhos para a próxima reunião, festa, encontro? Afinal, como o mundo nos vê? Fazemos parte dos loucos ou dos sábios? Pois Deus escolheu as coisas loucas deste mundo, para confundir as sábias. Aquela pessoa me mostrou sem dizer nada, algo essencial, como o mundo me vê? Como mais um? Jesus nunca foi “mais um”, onde Ele estava a diferença acontecia.



Sonho com esquinas tomadas por profetas de Deus bradando as palavras de João Batista, fazendo almas sendo restauradas enquanto pessoas passam apressadas para seu trabalho. Sonho com ônibus lotados de almas e uma voz sem medo clamando em altos brados de amor, mais alto que o motor do próprio veículo, constrangendo corações com a Palavra do arrependimento. Chega de massagearmos as almas com palavras de orelha de livros de auto-ajuda. Um clamor precisa ser ouvido dentro dos bares cheios, das boates apinhadas, das faculdades intelectualóides. E talvez seremos expulsos, escarnecidos, surrados e presos. Mas não é para isso mesmo que o servo deve estar preparado? Ou nos consideramos maior à Jesus que disse que nenhum servo é maior que seu Senhor, “perseguiram a mim, perseguirão a vós também”? Mas antes disso Is. 57:14. Enquanto houverem sujeiras escondidas, pecados não perdoados, machucados não cicatrizados, enquanto as pedras não forem retiradas do caminho... o povo não poderá galgar estes patamares. Mas o tempo vem, e já chegou. Mas pergunto: “Senhor, onde estão os profetas... onde estamos?”

A ORAÇÃO E OS SENTIDOS


Orai sem cessar. Sem oração não conseguimos enxergar em meio às densas trevas que algumas vezes surgem em nossa vida.




Sem oração não conseguimos sentir o toque de Deus ao caminhar em meio às pedras que surgem ao longo da jornada.



Sem oração não conseguimos ouvir, a doce voz do Espírito Santo quando Ele nos fala ao coração.



Sem oração não conseguimos respirar a doce brisa de cada manhã.



Sem oração não conseguimos nós alimentar da mais pura palavra, o pão vivo que desceu do céu, o maná no deserto ou contemplar a sublime provisão de Deus.



Sem oração ficamos paralisados, indefesos, e sujeito a todo tipo de ataque, e não conseguimos nós defender, pois a oração é também arma de defesa.



O nosso corpo (Igreja) precisa de oração, ele precisa estar apaixonado por orar, pois só assim enxergará o amado de sua alma, assim conseguirá ouvi-lo, senti-lo, tocá-lo e por fim seremos capazes de viver a experiência da maravilhosa presença de Deus.



Sem oração não existe comunhão, e não há como contemplar, não há como adorar, não é possível sentir compaixão.



Sem oração não entendemos o que significa misericórdia.



Sem oração morreremos, é preciso orar.



Sem oração ficamos dispersos, alienados e acabamos por conformarmos com uma vida sem a GRAÇA.



Sem oração não lutamos, não enxergamos vitórias mais somente derrotas.



Sem oração calamos, e não proclamamos o Evangelho de poder.



Sem oração simplesmente esquecemos as promessas.



Sem oração não somos avivados.



É preciso amar oração, ela tem que ser o nosso oxigênio.



É preciso entregar-se em oração.



Ora e fé é o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das coisas que se não vêem. (Hebreus 11:1).

EU NELE CADA VEZ MAIS EU

"... a vossa vida está escondida, com Cristo, em Deus..."




Há muitas coisas que não sei. Não sei o que se passa na cabeça das mulheres (alguém sabe??? kkkk), ou o que habita o coração do ser humano. Quantas células há num organismo vivo ou quantos fios de cabelo possuo.



Não bastasse isso, a Bíblia me diz que não sei nem quem sou. Que desaforo não? Tudo bem que sou um cara complexo, cheio de irresoluções, mas convivo comigo há 51 anos ininterruptos. Como assim não me conheço?



Bem, segundo a Bíblia, minha vida está escondida, com Cristo, em Deus.



Já que Deus habita em luz inacessível e Jesus é o mediador entre Deus e os homens, chego à seguinte conclusão: Jesus é o passaporte para a viagem do conhecimento de mim mesmo. Parece insano. Eu sei, foi isso que pensei num primeiro momento. Mas, é a mais pura verdade.



Ao me analisar, não sem MUITA RELUTÂNCIA, tive que admitir, pra mim e para Deus que o “eu” que conhecia, não passava de um eu curricular, para consumo externo e que atendia às demandas e projeções dos outros.



Muitas coisas que fiz, fazia e ainda faço, estão muito mais ligadas à reputação, ou auto-engano que a minha essência.



Fachadas, fragmentos de mim ficam à mostra, dependendo de quem esteja vendo no momento. Por causa disso é que muitas vezes me espantei com reações minhas diante de situações, nas quais eu poderia jurar que seria diferente mas... não foi.



Tenho então 3 notícias. Uma boa, uma muito boa e outra melhor ainda.



A boa notícia é que é assim com todo mundo. O que se vê por fora, raramente é o que acontece por dentro. Daí as conclusões mais que óbvias.

• Machões são, na sua maioria, meninos inseguros.

• Promiscuidade é verniz pra carência

• Agressividade é expressão do medo

• Controle é, muitas vezes, narcisismo enrustido.

• Inveja é admiração não assumida aliada a um complexo de inferioridade

• Fixação pela aparência é a exteriorização de um pavor pela rejeição

• Ganância é uma expressão do desejo de ser seu próprio deus

Poderia enumerar mais coisas, porém, já deu pra sacar que vivemos "ao gosto do freguês".



A muito boa é que Deus sabe disso.



Quando nos olha, Ele vê o âmago do nosso ser. Bonita a palavra não? ÂMAGO. Mas pra ser bem direto, o que quero dizer é que Deus sabe que somos uma grande farsa, em boa parte do tempo.



Ele sabe que não sou assim tão legal, solidário, prestativo e altruísta como pareço. Que podemos ser muito próximos, mas se você relar no meu filho eu não serei assim tão polido.



Sabe que eu cobiço às vezes, invejo de vez em quando, já puxei o tapete de outros, que já menti pra me beneficiar e que, ainda depois de ter conhecido a Ele, ainda sou meio egoistinha.



Você deve estar se perguntando: Se essa é a boa, qual é a melhor notícia?



A melhor notícia é que ele tem um encontro com o meu “eu verdadeiro”



Deus não conversa com esse eu projetado, farsante e mentiroso, esse AVATAR que deixo perambulando pelas esquinas da vida. O papo dEle é com quem eu sou, olho no olho, vis a vis.



Por isso as 2 maiores tolices da vida são:



• Tentar se disfarçar



Nem mesmo o inspetor bugiganga, conseguiria fugir dos olhos de Deus, que estão por toda terra. Diante dEle estão nuas e patentes todas as coisas, inclusive eu e meu universo finito, confuso e particular.



• Tentar copiar alguém



Não dá pra esquecer que foi Ele quem me fez, logo, eu sou assim e pronto. João e Maria serão sempre João e Maria e nunca o inverso.



Me irrita essa mania evangélica de formar um exército de soldadinhos de chumbo, vaquinhas de presépio, onde todo mundo é sempre igual. Ser espiritual é cantar, pregar, orar no microfone e blá, blá, blá. Quem não faz isso não está crescendo espiritualmente.



Ah, faça me o favor. Isso é zombar de Deus. Nem eu, que Sou péssimo desenhista, seria capaz de tanta mediocridade.



Quem pensa assim, se fosse Deus, faria os animais, as plantas, os frutos iguais, diferenciados por um crachá (crente ama um cracházinho kkkkk).



PELO AMOR DE DEUS, NÃO !!!



Portanto, a conclusão que chego é que o melhor a fazer é me render diante de Deus e reconhecer que ainda há muito o que mudar em mim até o grande Dia. Pois como disse um irmão "Aquele que COMEÇOU a boa obra em vós, há de completá-la ATÉ o dia de Cristo.



Quem pensa assim é

Humilde - pois sabe que Deus o conhece muito bem

Misericordioso - pois sabe que Deus o acolheu por amor e não por mérito

Paciente - pois sabe do trabalho que Deus está tendo pra mudá-lo

Autêntico - pois sabe que Deus o fez, do jeitinho que ele é.



Meu conselho, e também meu objetivo, é ser uma pessoa assim. Não complexada, compreensiva e autêntica, sendo quem sou e nada mais.



Mergulhe então em Deus, através de Jesus, e descubra que você é conhecido, lindo e amado, do jeito que é, afinal o Deus que criou as betúlas, o kiwi e a girafa, criou vc. Portanto, SER DIFERENTE É A REGRA E NÃO A EXCEÇÃO.



"...pois somos feitura dEle..."