Atalho do Facebook

FICAMOS ALEGRES COM SUA VISITA

ESPERAMOS, QUE COM A GRAÇA SANTIFICANTE DO ESPIRITO SANTO, E COM O DERRAMAR DE SEU AMOR, POSSAMOS ATRAVÉS DESTE HUMILDE CANAL SER VEÍCULO DA PALAVRA E DO AMOR DE DEUS, NÃO IMPORTA SE ES GREGO, ROMANO OU JUDEU A NOSSA PEDRA FUNDAMENTAL CHAMA-SE CRISTO JESUS E TODOS SOMOS TIJOLOS PARA EDIFICACÃO DESTA IGREJA QUE FAZ O SEU EXODO PARA O CÉU. PAZ E BEM

AGRADECIMENTO

AGRADECEMOS AOS NOSSOS IRMÃOS E LEITORES, POR MAIS ESTE OBJETIVO ATINGIDO, É A PALAVRA DE CRISTO SEMEADA EM MILHARES DE CORAÇÕES. PAZ E BEM

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

PORQUE NÃO OUVIMOS DEUS ?


Nunca foi tão difícil passar pelo silêncio de Deus, principalmente na era da comunicação digital.

Você liga a internet, digita uma palavra num site de busca e em segundos sabe tudo sobre o assunto. Liga a televisão e tem canais de jornalismo, informação e entretenimento 24 horas. Nossas casas têm no mínimo uma linha de telefone, sem contar o celular, fax, nextel, e-mail, MSN e orkut. Falamos, ouvimos, falamos mais um pouco, digitamos e nos comunicamos cada vez mais, com mais gente e com mais lugares.

Pensando sobre minha comunicação com Deus, às vezes tenho a sensação de um silêncio quase total. Não satisfeita em me lembrar do louvor que me garante que “quando ele fica em silêncio é porque está trabalhando”, procurei pensar em outras respostas.

Talvez o problema não seja um Deus comprometido demais com o trabalho -- talvez o problema seja apenas eu.

Vivo numa geração viciada em informação e rapidez. Queremos saber de tudo: desde coisas relevantes, como quem ganhou a eleição nos Estados Unidos, as novas doenças e os conflitos em Israel, até coisas irrelevantes, como quem ganhou o último “Big brother” ou qual o par romântico da novela das oito.

Falamos rápido, comemos rápido, andamos quase correndo e dirigimos agitados. Quando o sinal de trânsito fica verde, já começamos a buzinar para alertar o infeliz que está na frente que é hora de arrancar com o carro. Se o elevador demora um pouco, apertamos o botão várias vezes, como se isso fosse fazê-lo chegar logo.

Quando lidamos com Deus, não agimos diferente. Queremos agilidade, queremos ser ouvidos e principalmente respondidos de forma rápida e positiva. Não temos tempo para jejuns, orações longas e leituras bíblicas e muito menos para esperar em Deus as respostas para nossos dilemas. Tornamo-nos filhos mimados e impacientes e queremos tudo da nossa forma e jeito. Como se Deus precisasse se submeter a nossa vontade e ao ritmo alucinante deste mundo.

Talvez, se Deus tivesse orkut ou MSN, seria mais fácil escutarmos sua voz. Se ele tivesse e-mail, poderíamos ver os títulos das mensagens. Se fosse coisa boa, abriríamos correndo; se fosse exortação, era só deletar.

Andamos ocupados demais para ouvir Deus. Temos trabalho, família, faculdade e até um ministério na igreja que ocupam nossa mente e são os reis do nosso coração.

Realmente o silêncio de Deus quer dizer alguma coisa... Quer dizer que ele sonha em ter um relacionamento tão próximo com a gente como teve com Adão no jardim. Ele quer dialogar nas orações e não apenas ouvir um monólogo nosso. Quer nos usar para realizar os sonhos dele e não ser usado para realizar nossos devaneios materiais. O Deus de Abraão, Isaque e Jacó continua o mesmo -- está esperando em silêncio receber nosso coração por inteiro.

ANTI-DEPRECIVOS E A ORAÇÃO


Recentemente a revista “Época” publicou uma matéria sobre o uso do Rivotril, uma droga contra a ansiedade, de baixo custo, que tornou-se o segundo remédio mais vendido no Brasil, atrás apenas do anticoncepcional Microvlar. Segundo a revista, apesar de a droga ser antiga e estar há mais de 35 anos no mercado, nos últimos cinco anos teve uma escalada impressionante de vendas, batendo inclusive analgésicos tradicionais, como Novalgina e Tylenol.

Este dado revela um cenário social preocupante sob vários aspectos. Além dos problemas mencionados na reportagem — que vão desde o aumento dos transtornos de ansiedade e depressão na sociedade, até os milhões de dólares gastos em publicidade pela indústria farmacêutica, passando pelos atalhos usados por profissionais de saúde que não se preocupam em analisar as causas da ansiedade –, temos um quadro que desafia a fé e o chamado de Cristo.

Vivemos um tempo de muita violência, pressa, competição e medo. As inúmeras expectativas sociais, afetivas e profissionais geram inquietações e frustrações. As mudanças em diversos aspectos da vida acontecem numa velocidade enorme e tornam cada vez mais difícil para a pessoa discernir o que realmente importa e o que é possível. Os anseios internos e externos nos consomem. Amigos que requerem nosso tempo e atenção, projetos não concluídos e outros na fila à espera de tempo para serem considerados. O lar deixou de ser um lugar tranquilo. As várias televisões ligadas, a internet e os celulares transformaram o ambiente doméstico numa extensão da agitação que vivemos todo dia. Cada nova experiência nos traz exigências cada vez maiores.

Nos anos dedicados ao seu ministério público, Jesus trabalhou intensamente, enfrentou situações difíceis, violência e um complexo quadro social, político e econômico. E declarou em sua oração ao final do ministério: “Eu te glorifiquei na terra consumando a obra que me confiaste” (Jo 17.4). Compreender o significado desta declaração nos ajudará a lidar melhor com a ansiedade.
“O pior dos pecados é a falta de oração”. Por meio da oração nós permanecemos com os olhos e a mente em Deus. Sua ausência intensifica nosso orgulho, e achamos que é possível viver sem Deus. A prática da oração nos preserva numa vida centrada na glória, no reino e na vontade de Deus. Foi assim que Jesus nos ensinou a orar.

Para muitos as tensões e ansiedades do trabalho vêm de chefes e diretores neuróticos. As incertezas do futuro, o ritmo acelerado das mudanças, a superficialidade dos relacionamentos, as exigências públicas e privadas cada vez maiores, são geradores de muita ansiedade. Porém, a oração nos ajuda a manter a vida focada em Deus, e nele aprendemos a descansar e reconhecer o que realmente importa.

O mundo de Jesus não era diferente; ainda assim, o vemos orando, reconhecendo que havia completado a obra que lhe fora confiada. É claro que, mesmo tendo curado muitos enfermos, outros tantos permaneceram doentes. Devolveu a dignidade a algumas prostitutas, coletores de impostos e endemoninhados, mas muitos continuaram na vil escravidão. Porém, a certeza de ter cumprido a tarefa que o Pai lhe confiara veio do lugar que a oração ocupou em sua vida.

Não podemos mudar a paisagem externa (agitação, competição, violência, consumo), mas podemos mudar a paisagem interna (confiança, entrega, descanso, paz). Uma vez que a paisagem interna é transformada, podemos entrar no mundo agitado da paisagem externa e contribuir para sua transformação.

Um momento de silêncio, meditação nas Escrituras e oração no início de cada dia muda radicalmente a paisagem interna e nos ajuda a olhar com mais serenidade a paisagem externa. Além desses minutos diários, precisamos nos recolher, pelo menos uma vez por semana, para um inventário pessoal, para ver se temos nos ocupado mais com Deus e sua vontade ou com a tirania das demandas sociais. A oração é o antídoto divino para a ansiedade. Paz e bem

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

O VELHO O JOVEM E A BURRICE HEREDITARIA


Os jovens são acomodados. Os velhos calejados.

Até mesmo a atitude ousada dos jovens de nossa época, parece ser altamente quadrada. Os jovens perderam o conceito de liberdade em todos os sentidos. Já se acostumaram com os escândalos políticos. Pensam que isto é normal e em breve virão outras crises. Preferem ressuscitar os velhos estilos, da música às roupas, do que arriscar-se em criar algo novo. Não há nada de novo nesta juventude acomodada.

Já os velhos, estes têm até a consciência calejada. Os idealistas do passado não foram capazes de transmitir a ousadia da contravenção em favor da liberdade para a geração seguinte. Os antigos terroristas e baderneiros pró liberdade, agora relativizaram totalmente os valores que mais defenderam. Não há mais uma esquerda e uma direita. No fundo todos estão do mesmo lado. A idade os fez acreditar que os sonhos da juventude eram utópicos demais. Cada revolucionário em potencial, transformou-se exatamente no inimigo vencido no passado.

Na igreja as coisas não são diferentes. Os jovens querem a volta dos “libertamentos” e das “profetadas”. Querem o grande profeteiro, que possa trazer de volta um misticismo medieval. Querem o calor dos grandes ajuntamentos de descerebrados. Querem ressuscitar o som extraído do chifre e a autoridade espiritual sufocante.

Os velhos acham graça nisso tudo. E pensam que seu passado é bom o suficiente para que a atual geração conheça Deus (afinal, funcionou pra gente!). Pecaram gravemente em não passar adiante a ousadia, a liberdade e principalmente a inteligência.

De que adianta ser CRISTÃO e continuar ignorante se somente CONHECENDO a verdade é que seremos verdadeiramente libertos. Paz e bem

terça-feira, 11 de agosto de 2009

A FOME NO MUNDO NÃO É DE COMIDA......


Ouso dizer que o problema do mundo não é a fome, mas o enfastio. Não é a falta, mas o excesso. A fome é coisa primária o enfastio é fruto das futilidades.

Isto porque não comemos mais para satisfazer as necessidades do estômago, mas para amenizar o vazio da alma.

Não compramos mais para manter o ser, mas para tentar ser.

Não amamos mais para construir a comunidade, mas para adornar as individualidades.

Entretanto, continuamos com a alma vazia e o estômago com náuseas, por excesso de iguarias.

Por isso, não sentimos mais o gosto da comida, nem da vida, porque nossa fome deu lugar à compulsão. Não mastigamos, não degustamos, apenas engolimos a comida e a vida.

Engolimos inteiro e comemos quente para comermos mais. Comemos agora pensando no que comeremos depois. Comemos o nosso de olho no prato do outro.

Estamos enfastiados, mas não realizados, por isso precisamos comer mais – o pão de hoje e o de amanhã – pois a vida é agora!

Não há lugar para o jejum, para a partilha, para a gratidão, para o sonho.

Por isso ouso afirmar que o mundo não está com fome, mas enfastiado. Logo, não precisa de mais comida, precisa de um regime - regime do Ego. Portanto, não é de mais restaurantes que precisamos, mas de cozinhas comunitárias.

Pois, não venceremos a fome enquanto insistirmos no consumismo exagerado.

Nem tão pouco investindo, apenas, em mais programas sociais que escondem a verdadeira miséria tentando tapar um precipício com um rolha.

Pois a fome só poderá ser vencida quando aprendermos e ensinarmos que as pessoas valem mais do que as coisas.

Quando as forças políticas lutarem em favor dos outros e não em favor de seus estômagos insaciáveis.

Quando as pessoas tomarem consciência de que o mundo não é um jardim individual e descobrirem que o problema não está na fome, mas no tamanho excessivo do estômago de alguns e que só o diminuiremos dilatando o coração.

Assim, o problema da fome não é a escassez, mas o excesso do ter. Portanto, o mundo não padece de fome, mas do enfastio, logo, a solução está em dar e não em receber.

Pois a fome do mundo não é causada pela falta de comida, de bebida de luxúria e de bens, mas pela falta de vida com Deus: “Pois a minha carne é verdadeira comida, e o meu sangue é verdadeira bebida.” – João 6:55.

PÃO PARA UM SER HUMANO INSACIAVEL


João 6:35, 41-51

O ser humano é insaciável. E esta insaciabilidade tem muito haver com sua constante insatisfação. Esta insatisfação fica muito patente quando observamos o seu comportamento habitual. Por exemplo: Uma das insatisfações do ser humano diz respeito à sua aparência – Por isto mesmo as mulheres têm um confronto diário com espelho, para conferir se estão mais magras, com mais rugas, ou com mais cabelos brancos. Muitos homens se preocupam com os "pneuzinhos" que começam a aparecer depois de certa idade. O ser humano está sempre insatisfeito em seus relacionamentos amorosos - O homem quer ser o eterno conquistador, porque conquistar apenas uma mulher na vida não é o suficiente para satisfazer o seu ego. E a mulher, pode até satisfazer-se tendo o amor de apenas um homem, desde que ele dedique a ela toda a atenção do mundo- O que é impossível! O ser humano também está sempre insatisfeito com sua produtividade – Ele quer ser o melhor aluno de sua turma; ele quer a promoção em seu trabalho; ele quer ser o melhor! O ser humano está sempre insatisfeito com o que possui – Ele quer mais dinheiro, não importa o quanto tenha; ele quer mais poder para subjugar; ele quer mais conhecimento, não importa quantas graduações já tenha alcançado; ele quer ser como Deus: Conhecedor do bem e do mal.

Por isto mesmo, o ser humano não vive em paz. Foi a insatisfação que sempre fez com que os israelitas se revoltassem contra Moisés, Arão e contra o próprio Deus. Foi a insatisfação que lhes impediu a entrada na Terra Prometida e os fez andar errantes durante 40 anos pelo deserto, longe de uma terra que manava leite e mel. É a insatisfação que destrói casamentos e famílias. A insatisfação não só deforma o rosto, mas também estraga o ambiente no trabalho, na vizinhança ou na comunidade. A insatisfação faz uma sociedade ficar exaurida e um povo tornar-se corrompido. A Bíblia fala disso em Lamentações 3.39: "Por que, pois, se queixa o homem vivente? Queixe-se cada um dos seus próprios pecados." Em Judas 16 está escrito acerca dos insatisfeitos: "Os tais são murmuradores, são descontentes, andando segundo as suas paixões." A Bíblia Viva diz: "Esses homens são exploradores constantes, eternos insatisfeitos, fazendo todo o mal que lhes dá vontade..."

É por causa de suas insatisfações que o ser humano está constantemente faminto.

O texto lido apresenta-nos a cena em que Jesus se revela aos judeus como o pão da vida. Esta apresentação de Jesus provoca uma murmuração entre eles: “Não é este Jesus, o filho de José? Acaso, não lhe conhecemos o pai e a mãe? Como, pois, agora diz: Desci do céu? V.42. Estes judeus necessitavam do pão da vida, contudo, não conseguiram compreender a importância da mensagem da cruz, e continuaram famintos. Continuaram famintos pela sua insatisfação de buscar em Jesus apenas o alimento físico, que perece, como o maná do deserto. Mas não buscaram o alimento que poderia saciar a fome de suas almas. Queriam satisfazer apenas suas necessidades carnais, como a libertação política do império romano; mas não se preocupavam em satisfazer às suas crises espirituais. É portanto, para tentar combater esta FOME que corre o risco de habitar nosso coração que eu vos apresento:
UM PÃO PARA UM SER HUMANO INSACIÁVEL

V. 35: “Declarou-lhes, pois, Jesus: Eu sou o pão da vida; o que vem a mim jamais terá fome...”

Como este Pão sacia a fome do ser humano?

1. Este Pão só Sacia a que vem a Ele

• Como alguém pode vir a este pão da vida que é Jesus? No V.44, Jesus disse: “Ninguém pode vir a mim se o Pai, que me enviou, não o trouxer; e eu o ressuscitarei no último dia.” Só virá a este pão, quem foi trazido pelo próprio Deus! Quem não foi convidado por Deus para vir se alimentar do Pão da Vida, não terá forças para vir a ele! Quando alguém sente o desejo de vir a Cristo, seja através de um culto; seja através de uma conversa com um cristão; seja através de um grupo familiar; esta pessoa, na verdade, já foi convencida pelo próprio Deus para receber do pão da vida! Desta forma, você que subiu à Casa de Deus, ou que já teve um encontro com Cristo, não veio pela sua própria vontade, mas sim, pelo convite irrecusável de Deus. Jesus também confirma esta verdade no V.45: Está escrito nos profetas: E serão todos ensinados por Deus. Portanto, todo aquele que do Pai ouviu e aprendeu vem a mim. No versículo 37 Jesus ainda declara: Todo o que o Pai me dá virá a mim; e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora. Jesus não pode desprezar àqueles que o Pai já trouxe até sua presença.

2. Este Pão só Sacia a quem Crê nEle
No v. 47, Jesus declara: “Em verdade, em verdade vos digo: quem crê em mim tem a vida eterna.” Para ser alimentado por este pão da vida também é preciso crer em seu poder de saciar o insaciável. É preciso lembra que o ato de crer na Escrituras, está intimamente ligado ao ato de obedecer. Dessa forma, quem crê, deve também obedecer. Vejamos alguns textos: João 14:12: Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim também fará as obras que eu faço, e as fará maiores do que estas, porque eu vou para meu Pai. Romanos 10:16 e 21: Mas nem todos têm obedecido ao evangelho; pois Isaías diz: SENHOR, quem creu na nossa pregação? Mas para Israel diz: Todo o dia estendi as minhas mãos a um povo rebelde e contradizente. Para sermos alimentados pelo pão da vida, precisamos crer em Jesus, e obedecer aos seus ensinos.

3. Este Pão só Sacia a quem dEle se Alimenta
• No v.51, Jesus ensina: “Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém dele comer, viverá eternamente; e o pão que eu darei pela vida do mundo é a minha carne”. Como podemos nos alimentar objetivamente deste pão vivo? Esta foi a pergunta dos judeus: V.52: Disputavam, pois, os judeus entre si, dizendo: Como nos pode dar este a sua carne a comer? Jesus responde imediatamente: Vv.53-58: Jesus, pois, lhes disse: Na verdade, na verdade vos digo que, se não comerdes a carne do Filho do homem, e não beberdes o seu sangue, não tereis vida em vós mesmos. 54 Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia. 55 Porque a minha carne verdadeiramente é comida, e o meu sangue verdadeiramente é bebida. 56 Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele. 57 Assim como o Pai, que vive, me enviou, e eu vivo pelo Pai, assim, quem de mim se alimenta, também viverá por mim. 58 Este é o pão que desceu do céu; não é o caso de vossos pais, que comeram o maná e morreram; quem comer este pão viverá para sempre. O comer da carne e o beber do sangue de Cristo traz uma muito séria responsabilidade, pois quem pratica este ato permanece em Cristo, e Cristo passa a habitar nele, e a vida deste já não o pertencerá. Paulo confirma esta verdade em Gálatas 2:20: Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim. A carne e o sangue são símbolos bíblicos para falar da vida. Portanto, comer da carne e beber do sangue de Cristo, significa viver sua plena humanidade; significa viver sua vida. Nós comemos da carne e bebemos do sangue de Cristo, quando amamos a todos, sem preconceito, sem acepção de pessoas. Nós comemos da carne e bebemos do sangue de Cristo, quando mesmo crucificados, temos a ousadia de declarar: “Pai, perdoa-os, porque não sabem o que fazem”. Nós comemos da carne e bebemos do sangue de Cristo quando nos entregamos pelos necessitados. Nós comemos da carne e bebemos do sangue de Cristo quando enfrentamos às oposições levantadas contra o Reino de Deus. Nós comemos da carne e bebemos do sangue de Cristo, quando não buscamos riquezas, honra e poder; mas, nos sacrificamos na busca pela humildade. Nós comemos da carne e bebemos do sangue de Cristo, quando nos consagramos ao Senhor e vencemos as tentações de Satanás. Nós comemos da carne e bebemos do sangue de Cristo, quando obedecemos aos seus mandamentos!

SALMO 46


Ele faz cessar a guerra até os confins da terra; quebra o arco e corta a lança, queima os carros no fogo. Aquietai-vos e sabei que eu sou Deus; serei exaltado entre as nações, serei exaltado sobre a terra..."

1. A guerra

Por três motivos se pode entrar numa guerra:
a) Porque foi provocado: 2 Rs 14.8-11; Joás x Amazias
b) Por desobediência a Deus1 Cr 5.25,26;
c) Por temer ao senhor: 2 Cr 20.

Deus é absoluto; aqui fala de sua soberania, Onipotência.

2. Os ataques

Arco e lanças são armas que foram feitas para atacar de longe; o carro aproxima, para o ataque ser de perto, mais eficiente.

2.1 As características de um ataque:
a) Ele pode ser freqüente;
b) pode ser esporádico;
c) pode ser com veemência;
d) pode não ser com veemência;
e) pode demorar ou não.

2.2- O inimigo não só ataca de longe, mas, muitas vezes, de perto; porem Deus irá destruir a força do inimigo, ele não irá mais te afrontar.

3. Três são os motivos para se aquietar:
a) Serei exaltado entre as nações, diz Deus;
b) serei exaltado sobre a terra;
c) O Senhor dos exércitos está conosco.

Acima Deus nos diz que é um Deus grande poderoso; aquietar siguinifica que confiamos n’Ele, que temos certeza que com Ele estaremos seguros em meio às guerras que enfrentamos; um DEUS assim merece toda a nossa confiança, pois é o Deus excelso; adoremos a Ele. É o Deus infinito.

4. O Senhor dos exércitos

Esta expressão siguinifica que Ele é mais que vencedor, vence todas as batalhas, o Senhor da guerra;

“É o nosso refúgio” fala da segurança em meio ás intraquilidades e perigos da guerra. Fala também de restauração das forças para guerrear e vencer a batalha. Paz e bem

A RELIGIÃO A COCA-COLA E EU


Geralmente as pessoas têm uma religião e quando não tem se dizem ateu, ou seja, ainda sem tem uma religião o ateísmo, sendo assim as pessoas sempre acreditam em algo mesmo que seja não acreditar em nada, um grande amigo disse uma vez que: "A religião é tudo aquilo que fazemos sem entender o porquê", simplesmente fazemos aquilo e acreditamos nisso, gastamos nosso tempo nossas forças e tudo aquilo que temos com isso, só pra citar a religião desse amigo meu se trata do Corintians, isso mesmo o time de futebol, estranho? Mais estranho ainda é quando eu te falar que a minha religião é a Coca-Cola, gosto muito de Coca sou um Cocolatra assumido e não sei o porquê, simplesmente gosto, compro coisas com a marca da Coca, em casa tenho uma coleção das primeiras garrafas da Coca, e vai entender isso, mas quando eu vejo aquela garrafa suando de tão gelada com aquele liquido preto não consigo ficar sem salivar a boca. Quanto ao meu time de Futebol torço pro São Paulo e sei o porquê, é simples porque ele é o melhor time que tem (risos), e pode falar o que for pra mim que ele continua sendo... Pois é sou religioso mesmo.

Mas religião é isso não importa o que digam não sei muito bem o porquê, mas continuo crendo naquilo, Agora existe algo que é muito maior que tudo isso, que se trata de um relacionamento intimo e verdadeiro com Deus, sim o único e verdadeiro Deus, e seu filho Jesus o Cristo, que é o nosso unico e suficiente salvador, e o mais louco de tudo isso é que podemos conhecelo pessoalmente de verdade, e isso é realmente incrivel. Agora pensa comigo se eu posso conhecelo pessoalmente buscar Nele tudo aquilo que preciso pra ser bem sucedido em minha vida, vou ficicar eu perdendo tempo com religiosidade pra que?

O único problema é que muitas vezes somos levados a ser religiosos em nossas vidas com Deus, isso porque não sabemos ao certo quem somos de onde viemos ou para onde vamos, e se não sabemos muito ao certo isso quanto a nós o que dirá quanto a Deus, ou seja, não temos a nossa identidade estabelecida então somos levados a crer em qualquer coisa.

“Para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente”. Efesios 4:14

Ou seja, temos então um problema de identidade religiosa, se ler alguns versículos a cima verá que está sendo falado ali sobre que Deus é e sobre o ele tem pra nós, mas como não temos consciência disso então preferimos acreditar em qualquer coisa que as pessoas nos dizem, e acreditamos fielmente naquilo sem muitas das vezes entender muito bem o porquê. Mas na verdade pra mim todos os tipo de religião não são bons, porque religiosidade mata. A única coisa que realmente transforma e nos liberta é a verdade, e a verdade é Jesus, que é vivo e o qual pode mudar a vida de qualquer um, como? Através de um relacionamento genuíno com ele, algo feito de experiências reais, um andar junto dia a dia conhecendo e prosseguindo em conhecer cada dia mais. E isso é real existe, e o mais incrível é que Deus quer se relacionar com agente, e o que ele pede em troca? Nada; simples assim ele só nos chama assim como estamos para conhecê-lo. Agora a pergunta é você quer ser um religioso, ou tentar não acreditar em nada? Será que essa é coisa mais inteligente a se fazer, ja que nenhuma religião é confiavel então não acredito em nada? Quer ser uma pessoa que não acredita em religião? Ou quer conhecer esse Deus vivo que pode mudar sua vida? E ter um relacionamento genuino com ele, entender de onde veio quem você é e pra onde você vai. E quem sabe assim enchergar sua vida com outros olhos.