Atalho do Facebook

FICAMOS ALEGRES COM SUA VISITA

ESPERAMOS, QUE COM A GRAÇA SANTIFICANTE DO ESPIRITO SANTO, E COM O DERRAMAR DE SEU AMOR, POSSAMOS ATRAVÉS DESTE HUMILDE CANAL SER VEÍCULO DA PALAVRA E DO AMOR DE DEUS, NÃO IMPORTA SE ES GREGO, ROMANO OU JUDEU A NOSSA PEDRA FUNDAMENTAL CHAMA-SE CRISTO JESUS E TODOS SOMOS TIJOLOS PARA EDIFICACÃO DESTA IGREJA QUE FAZ O SEU EXODO PARA O CÉU. PAZ E BEM

AGRADECIMENTO

AGRADECEMOS AOS NOSSOS IRMÃOS E LEITORES, POR MAIS ESTE OBJETIVO ATINGIDO, É A PALAVRA DE CRISTO SEMEADA EM MILHARES DE CORAÇÕES. PAZ E BEM

sexta-feira, 31 de julho de 2009

AMOR NÃO SE IMPÕE, MAS É UMA ATITUDE


Essa palavra é especialmente para os que amam. Para os inconformados e os que têm o coração inquieto.

Cansado de testemunhar conformismo e indiferença, e de pregar o amor para corações endurecidos, fui tomado por um profundo e incomum desânimo. Prostrado, com a cabeça baixa, literalmente murcho, entrei em completo silencio. Nenhum pensamento, nenhuma oração.

Em meio ao mais absoluto vazio e a mais absoluta ausência, uma mensagem foi sussurrada em meus sentimentos:

"Não procure colocar amor nas pessoas porque você não conseguirá. Amor não se impõe, ou se tem ou não se tem."

Confesso que não consigo discernir a espiritualidade dessas palavras. As evidencias não deixam dúvida que muitos corações esfriaram, mas sei que é preciso refletir a luz que ilumina o caminho.

É confortante saber que nossas dividas de amor foram pagas por Jesus, mas compreendo que essa consciência nos compromete ainda mais com a dor e a solidão do próximo.

Conheço as angústias e as aflições de todo aquele que ama e peço aos irmãos que reflitam sobre essa questão.

Deus abençoe a todos.

COMUNIDADE DE AMIGOS


A idéia de Jesus nunca foi criar uma religião organizada. Jesus não tinha em mente plantar uma igreja com uma placa denominacional e nem (pasmem alguns!) criar o Cristianismo. Aliás, Jesus nasceu judeu com direito a rituais judaicos e morreu judeu.

Se a pretensão de Jesus fosse inaugurar mais uma religião, penso que ele teria agido de maneira diferente nos seus últimos encontros com os discípulos antes de subir para o Pai. Teria dado mil recomendações, métodos e dogmas.

Os profissionais da publicidade devem ter se indignado com Jesus porque se ele queria "dar certo" deveria ter agido de outra maneira!

Um marketeiro diria que se Jesus quisesse "vender seu peixe" deveria ter se apresentado ressurreto no templo, por exemplo, e não a um grupo de pescadores frustrados numa praia.

Um publicitário teria pedido a Jesus pelo menos um slogan, uma frase de efeito ou o nome da igreja, além da nobre comissão “... ide por todo mundo ensinando a obedecer a tudo que eu vos tenho ordenado”.

Os teólogos de plantão queriam uma teologia sistemática para dar conta de todas as palavras e atos de Jesus, mas Jesus na sua última conversa antes de subir para o Pai fala simplesmente de amor: “Pedro, tu me amas?”.

Um profissional da fé pediria para Jesus divulgar a sua ressurreição na praça com direito a louvorzão ao invés de aparecer a Maria que lhe confundiu com um jardineiro.
A igreja institucionalizada foi uma idéia bem intencionada do homem para que a paixão não esfriasse, para que os ensinamentos do Mestre não caíssem no esquecimento. Mas junto com essa instituição vieram alguns males que a história registra. Obviamente porque a instituição é composta de homens e mulheres!

Desde então, o grande desafio da igreja organizada é, em sendo uma instituição não pretender ser a porta dos céus; tendo sua teologia não esquecer a doçura, a gentileza, a inclusão, o perdão; sendo uma religião se inspirar no estilo de vida de Jesus.

O desejo de Cristo era bem mais modesto, todavia profundo, assim como plantar sementes! Jesus pensava numa comunidade de amigos a quem ele pudesse ensinar um jeito bom de viver com base no amor! Uma comunidade que incluísse a todos, que convidasse a todos para o banquete da amizade.

Jesus é o Homem-Deus cheio dos gestos de afetos que lhe acompanham desde as suas mensagens e milagres até aos banquetes e festas.

Jesus inclui com doçura no seu grupo aquele que foi declarado pecador pela instituição religiosa; Jesus recebe no seu colo aquele que foi declarado e convencido pela sociedade de impuro; Jesus toca com saliva divina os olhos do cego que aprendeu pela religião que foi amaldiçoado por Deus.

Numa sociedade fria, de relacionamentos virtuais, consumista, capitalista, utilitária onde as pessoas se esbarram, mas não se tocam, onde cada um olha para o seu umbigo precisamos espalhar o jeito de viver do Mestre, exercitar os gestos modestos, despretensiosos e afetuosos de Jesus de Nazaré.

A Terra carece de gente de pele e nervo que exercitam os gestos da graça: um abraço, um sorriso, um aceno, um cumprimento, uma orientação, uma homenagem, dar a vez no trânsito, um ombro amigo, um ouvir atencioso, um olhar reverente. Nós precisamos de calor humano!

Lembro aqui do filme Wall-E. No enredo, devido às péssimas condições de vida na Terra, a humanidade tem que viver no espaço numa enorme nave. Ali eles dão um jeito de sobreviver. Obeso de tanta comida e sedentarismo, cada um vive deitado numa poltrona voadora que o leva para qualquer lugar, tem à sua frente um pequeno monitor de onde não tira os olhos, de onde faz todos os comandos e vê a vida. Esses seres humanos do futuro (ou será da atualidade?) conseguem conversar sem se notarem. Até que um dia dois indivíduos se percebem, trocam olhares por causa de um acidente: um toca na mão do outro! (recomendo o filme que para mim é profético!).

Já diria Carlos Drummond de Andrade que “amar se aprende amando”. Inspirados pele espírito da frase podemos dizer que os gestos de Jesus nós aprendemos fazendo e esquecemos se deixamos de fazer.

É assim que eu gosto de olhar para minha comunidade de fé: uma comunidade de amigos onde estamos aprendendo com Jesus um jeito melhor de viver!

quarta-feira, 29 de julho de 2009

DEUS MENTE ? TOMARA QUE SIM.....


Deus ordenou: "Mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dela não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás." (Gn 2.17). Satanás contradisse a Deus, afirmando que Ele mentiu: "Então a serpente disse à mulher: Certamente não morrereis." (3.4).

O que aconteceu? Bem, se formos céticos diríamos que Satanás falou a verdade. Adão e Eva não comeram um fruto envenenado porque não morreram. Este é o grande abismo existente entre uma leitura espiritual e uma leitura meramente humana do texto bíblico.

Fica evidente que Satanás mentiu. A putrefação do corpo até virar pó é uma das consequências imediatas do pecado. Satanás, inclusive, se alimenta deste pó (Gn 3.14), se alimenta da morte, se robustece com o poder de destruição que incitou na terra. O Diabo está em vantagem. Ainda há dúvida a respeito da morte sobre a qual Deus fala.

Não sabemos se Adão e Eva sabiam disto. Será que eles conheciam a morte? Temiam morrer? É possível que sim. Mas o divórcio de Deus, não. A separação entre eles e Deus não era uma possibilidade aventada por eles. Esta morte espiritual não era considerada. Se era, não fizeram caso algum. Aceitaram a mentira de Satanás em prejuízo deles mesmos. Portanto no dia em que desobedeceram a Deus morreram para Ele, imediatamente (3.8).

A história se repete. A experiência dos ex-habitantes do Éden, também é a nossa. Preferimos acreditar nas mentiras de Satanás a acreditar na verdade de Deus. Simples. Nossa vontade é que Deus esteja mentindo, que as Escrituras sejam um grande equívoco. Nossa torcida é que Deus seja fruto da mente fantasiosa de religiosos inescrupulosos, preconceituosos e hipócritas. Queremos que a Palavra de Deus seja falha subjetiva e certeza relativa.

Deus nos diz todos os dias: “Se você me desobedecer, certamente morrerá!”. E Satanás contradiz: “Não, você não vai morrer!” Nós acreditamos neste último porque ele acaba sendo a via de satisfação de nossos desejos. Satanás sabe alimentar nossos desejos e, assim, oferece-nos um produto que esperamos consumir. Queremos que esta mentira seja verdade e que a verdade seja mentira. Se fisicamente não morremos imediatamente e sentimos prazer sem Deus nem sentirmos Sua falta no dia a dia, damos razão a quem mente como se falasse a verdade. Porque é a nossa verdade, também.

Muitos de nós ainda não sabem o que significa “morrereis”. É nisto que Satanás aposta, porque aqueles que têm esta noção são como Jesus no Horto da Agonia (Lc. 22.44). Você saberia descrever a dor de uma pessoa que tem Deus como inimigo eterno? Você teria ideia do que é ser inimigo de um juiz que será o responsável por julgar sua injusta causa?

Hoje Jesus é amigo e diz: “Vinde a mim! Carregue sua cruz, negue-se a si mesmo e vinde a mim!” Amanhã, havendo rejeição ao convite e desobediência ao que se manda fazer, será inimigo e dirá: “Apartai-vos de mim, malditos!” A Bíblia diz que quem nasce duas vezes, morre apenas uma vez e que aquele que nascer apenas uma vez, morrerá duas (João 3.3; Ap. 2.11; 20.6, 14; 21.8). Estaria, ela, falando a verdade? Tomara que não!

PAI ACHO QUE ESTOU INDO NO CAMINHO ERRADO


Quando atendi ao telefone ontem, essa frase me levou a pensar em quantas vezes já me senti perdido nessa vida.

Ta certo que naquele tempo não tinha "celular", muitas vezes nem telefone. O jeito era perguntar ao frentista do posto, ou então a primeira pessoa que aparecia pela frente.

Mas essa frase me chamou atenção para outra coisa muito importante. Minha filha estava desorientada, sem saber qual a direção a tomar, estava desconfiada que tivesse pegado à direção errada.

E estava mesmo, estava na direção do centro, quando na verdade deveria ter ido na direção do bairro.

Já tinha caminhado algumas quadras, e percebeu que não estava indo para o lugar que queria. O que fazer nessa situação? Não teve duvidas, ligou para o pai, pois ela sabia que eu, mesmo a mais de 70 km de distância estava pronto para indicar o caminho correto, mostrando para ela qual deveria ser a direção a tomar. Que oportunidade, poder mostrar para ela que o caminho que estava seguindo era o errado, e melhor ainda, dizer para ela qual deveria ser o caminho correto a seguir.

Isso me fez pensar naquele dia em que eu perdido nesse mundo de Deus, estava desorientado, sem saber qual a direção a seguir, e Deus no seu infinito amor por mim, mostrou-me qual a direção certa, aquela que eu deveria seguir, com grande amor Ele me alcançou, dando-me a salvação.

Filha, que nas caminhadas dessa vida, sempre que você desconfiar que o caminho não seja o certo, você tenha essa mesma disposição de me ligar, e peço a Deus que nesses momentos eu saiba lhe indicar o caminho correto a seguir. Beijos.

terça-feira, 28 de julho de 2009

CENAS DO COTIDIANO


Há cenas em nosso cotidiano que ficam no ar e às vezes nos fazem vibrar. Pode ser uma flor colhida - que dentro de pouco tempo estará murcha - ou o sorriso lindo e espontâneo de uma criança. Um sinal de transito que se abre e depois se fecha, uma folha que cai na calçada e poderá ser pisada - para muitos pode não representar nada -, mas são cenas que ficam e determinam situações e até mudam destinos. Tudo depende da observação de quem passa, pára e depois se vai no seu caminho.

A vida é feita da soma de pequenas coisas que se encontram no dia a dia e formam um cenário muitas vezes curioso e interessante. A poesia é formada dessas gotículas que se desprendem de nosso cotidiano muitas vezes apressado e pouco dado a versos e divagações. O que dizer da alegria e da emoção que esses instantes nos transmitem? É só observar o que se passa ao redor e nos acena ás vezes com insistência. A gente pode recolher muita riqueza e trabalhar todo esse material que dia a dia está à nossa disposição.

Não precisa ser poeta para sentir essas vibrações e esses arrepios que muitas vezes uma brisa leve nos causa. A sensibilidade é natural e sempre nos comunica momentos de êxtase e arrebatamento. Observe uma pedrinha - algo tão simples e aparentemente inútil - entretanto, ela pode nos causar incômodos quando é ignorada por nós. Mas é bom não ignorar as pequenas coisas, como por exemplo, pequenos insetos ou espinhos invisíveis. Eles podem nos causar danos e até causar mortes. São lições que aprendemos com as pequenas coisas capazes de fazer grandes estragos. Imagine uma formiga andando dentro de nossas roupas. Há coisa mais incômoda e mais terrível? Mas vamos falar de coisas mais alegres e mais agradáveis.

Todos nós temos experiências e já vivemos, ou, pelo menos, já assistimos cenas estranhas, hilárias e até inimagináveis. Há situações alegres, emocionantes e festivas, porém há também muita "saia justa" em nosso cotidiano. Quem nunca cometeu uma gafe e depois tentou contorna-la, mas nada conseguiu? Essas armadilhas estão em todos os lugares, às vezes bem á nossa frente como um buraco ou um degrau que não conhecemos. E ninguém está livre deste infortúnio, deste desastre. Mas há situações alegres, poéticas e românticas para todos os gostos.

A poesia não é necessáriamente um poema ou um texto poético. Ela pode estar presente num olhar ou num gesto, ou, quem sabe, numa simples palavra dita a esmo, ou em algo lindo e ao mesmo tempo tão simples como uma gota que cai. Tudo depende da observação e da apreciação de quem passa, pára e depois se vai no seu caminho. Enfim, são cenas do cotidiano que a vida nos oferece juntamente com o seu amável, discreto e lindo sorriso. Nuances mágicas da vida.

MENTIRAS QUE CANTAMOS POR AI


Mais grave que as bobagens que cantamos por aí são as mentiras que me surpreendo cantando (contando) pra Deus. É tanta música sem pé nem cabeça! E lá vou eu à palhaço de circo atrás do "trio elétrico gospel" parecendo um estúpido seguidor de bloco carnavalesco. Não presto atenção e canto.

Canto, sem pensar canto. Mas a irmã Lice Cabral me escreveu por ocasião do: "Bobagens que cantamos por aí." E tocou no assunto, as mentiras que os crentes cantam por aí.

Então vejamos, "Abro mão dos meus sonhos..." Será? Deixo qualquer coisa pra seguir o Senhor? Eu deixo meu emprego dos sonhos e a minha namorada estonteante por entender que ambos me põem em rota de colisão com o meu Deus?

Nada contra os empregos dos sonhos nem contra as namoradas estonteantes, que bom se tiver as duas coisas! Sejamos sérios.

Eu ando meio cismado, cantando pouco, pensando muito. Não citaremos nomes de “pop-star-gospel”; sequer imaginam o furdunço que deu! Os fã-clubes entulharam minha caixa postal com e-mails desaforados, saíram em defesa dos seus ídolos com fúria, e um repertório nada invejável de expressões chulas.

Nunca poderia imaginar que o culto aos ídolos-crentes fosse tão doentio; até que eu não sou crente eles falaram, e olha que a única certeza que tenho na vida é que sou crente em Jesus. Se me tirarem isso, morrer é melhor. Sem dramas, me diverti com as asneiras que escreveram; diverti-me e depois me deprimi.

Cheguei a perguntar a alguns (respondi a alguns, tal o nível baixo das expressões) se os seus respectivos pastores estavam a par da veneração beata e romeira com que cultuam os humanos que cantam! Mas não posso responder a isso, confio nos pastores que confiam em Deus pra encher suas igrejas e abençoar seus rebanhos.

Então vamos lá: “Abro mão da minha vida...!” O que exatamente o compositor tem em mente? Uma nova leva de mártires? Iria o animado crente pra Índia? Estão matando os missionários lá, queimando igrejas; quebraram o projetor e sumiram com o filme “Jesus” de uns amigos meus. Dispõe-se a morrer por Cristo, ou é só simples e inútil metáfora?

“E não há na Terra a quem eu queira mais que a Ti... Eu estou disposto a morrer por Ti... E o sacrifício sou eu... Abro mão dos meus sonhos, abro mão dos meus planos, abro mão da minha vida por Ti... Abro mão dos prazeres e das minhas vontades, abro mão das riquezas por Ti...” Ufa!

São afirmações pra lá de sérias. Entendo que cada salmo composto por Davi (especificamente Davi) era consequência direta da sua vida com Deus. Davi nãos compôs salmos de olho no mercado devocional em alta; traduziu belissimamente cada momento feliz ou desgraçado que viveu densa e intensamente na presença d’Aquele que a ele referiu-se como a menina dos Seus olhos.

Atentemos para os afirmativos, sou mesmo crente o bastante pra cantar tudo
isso sem medo de passar por hipócrita? E se, só “e se” Deus resolvesse tirar a limpo esses rompantes de cega fidelidade? O que sobraria?

Minha vida não me permite cantar assim; fraco demais, fútil até, faço tão aquém do necessário! As palavras do Senhor em Lucas 17: 10 remetem-me a real perspectiva daquilo que sou pra Deus, que me conhece pra dedéu e não se fia em meus arroubos de abnegação. Ele sabe o quanto amo o que faço: missionário de um centro de recuperação de mendigos.

Mas que não me envergonho em sonhar com uma pequenina e acolhedora igreja na periferia, pra pastorear e criar as filhas. Sou pai solteiro.

Alguém, escrevendo a respeito daqueles dois jovens moravianos que se venderam como escravos para entrarem numa ilha e evangelizar escravos, disse: “Os moravianos não oravam por aquilo que não estavam dispostos a ser a resposta.” Ou seja, se oravam pedindo obreiros, estavam dispostos a serem enviados como obreiros, se oravam por recursos, estavam dispostos a aplicar os seus próprios recursos.

Certamente muitos há que cantam e arcam com os desdobramentos das afirmações daquilo que cantam, no mundo espiritual; quanto a mim, vou aprender uma música do Asaph Borba, cantada pela Ísis Regina, que diz assim: “Ensina-me amar, mesmo quando só há ódio ao meu redor. Ensina-me a dar, mesmo quando não há nada a receber. Ensina-me a aceitar tudo quanto tens preparado para mim. Confiando que tudo está nas Tuas mãos, e que tudo vem de Ti Jesus. Ensina-me a adorar mesmo quando há pranto em meu coração; também a perdoar, como a mim tens revelado o Teu perdão. E que eu possa ter mais sede de Te conhecer melhor, cada dia mais vontade de estar ao Teu redor, escutando Teu falar, sentindo Teu amor, vivendo junto a Ti, Senhor.” Aleluia! Isso eu posso cantar!

E com essa música eu declaro: nunca mais sentirei inveja dos irmãos católicos e sua incomparável oração de São Francisco de Assis. Valeu Asaph!

Aos fã-clubes de humanos que cantam: NUNCA É PESSOAL.

(ex-interno do centro de recuperação de mendigos – Missão Vida)

segunda-feira, 27 de julho de 2009

DEUS PARA MIM.........


Deus para mim é a materialização do amor,

Ele é o amor e É amor...

Não como o que sentimos limitado, frágil e carnal, mas o sentimento mais puro , intenso e verdadeiro que só podemos compreender ao olharmos para Ele em nós.

Somos a prova material da existência de Deus e do que Ele é capaz...

Deus para mim é mais que criador...

É o meu consolo, meu conforto, a certeza de que continuar vale a pena,

Que viver é muito mais que estar viva, e que a minha vida só tem tem sentido nEle.

Deus para mim é mais que fé

Mais que vencer

é a força que me sustenta, o ar que sai dos meus pulmões...

Deus não é O que me dá vitória, é simplesmente quem faz de mim mais que vencedora.
A fortaleza que me guarda

A Luz que me guia,

O chão da minha estrada, não uma utopia, nem divindade pronta para satisfazer meus desejos carnais,

O meu Deus não me "dá" aquilo que peço,pois já me deu tudo o que preciso.

Nem cobra para servi-lo com sacrifícios vãos...

O meu Deus é o meu Senhor, o proprietário da minha vida

A qual Ele pagou alto preço na cruz,

Guardou em mim Seu Espírito, e com dons maravilhosos me presenteou.

Tudo o que Deus quer de mim é que eu O Adore, mas não com palavras pérfidas ou danças sem sentido,

Deus quer que eu faça da minha vida alegria para o Seu coração, que eu compartilhe do Seu amor com o meu próximo,

Que eu deixe Seu Espírito agir livremente...

Deus é o meu tudo.

É misericordioso, paciente e não importa para Ele quantas vezes eu caia,
Suas mãos estão sempre estendidas para que eu levante,

O que Ele quer é que eu siga em frente, com olhos firmes no alto e passos fortes para o que adiante me espera,

Deus para mim é o amor que excede todo o entendimento humano, que cobre uma multidão de pecados,

Que faz da desonra dupla honra, mas não para minha glória e sim para que Seu nome seja glorificado pois Deus não permite que Sua glória seja dada a outro...

Deus para mim é o meu pai, minha mãe, minha vida,

A razão de eu existir, e para que eu exista,

Deus para mim é Aquele com quem vou viver para sempre...

É vida, Certeza, bondade, alegria e paz.

É o autor e consumador da minha fé,

Nele e para Ele eu vivo, Seu amor por mim não depende do que eu sou de quem sou, ou o que faço, Ele me ama, pois É amor,

Por Esse amor é que eu vivo, para Esse amor é que existo, descanso e não canso de falar a todos

Que Deus É: o Grande Eu Sou,

O Princípio e o Fim,

Que Dele para Ele e por Ele todas as coisas existem,

Bem aventurados os que nEle esperam,

A paz que só nEle encontramos, a vida eterna e o descanso de nossas almas ...

Deus para mim é o que todas as palavras existentes em todas as línguas jamais poderão descrever ...

PROSPERIDADE E MISSÕES


Citar um único versículo da Bíblia é suficiente para demonstrar que os ensinos da Teologia da Prosperidade são insustentáveis.

Jesus disse:

"Cuidado! Fiquem de sobreaviso contra todo tipo de ganância, a vida de um homem não consiste na quantidade dos seus bens" Lc 12.15.

Infelizmente, muitos cristãos, mesmo dizendo não concordar com a Teologia da Prosperidade, continuam vivendo deliberadamente em busca de prosperidade material, enganados pelos valores materialistas da sociedade de consumo.

Alguns estão muito preocupados com coisas simples, pois os sofás da sala não combinam com a estante, ou porque o velho televisor já deveria ter sido substituído por um moderno aparelho com tela de plasma.

Outros estão constantemente considerando assumir mais um emprego, pelo principal motivo de obter renda mais alta, para trocar de carro todo ano ou morar em uma casa maior e mais confortável.

E quantos não conseguem dormir direito pois foram atropelados pelas dívidas e pelos problemas financeiros, consequência de gastos impensados, gerados por acatar a influência do estilo de vida consumista pregado em nossa época.

Enquanto isso...

1. Centenas de povos e etnias nunca ouviram o Evangelho, nunca tiveram um missionário pregando a palavra de Deus para eles;
2. Milhões de pessoas não possuem sequer um versículo da Palavra de Deus traduzido para o seu idioma;
3. Em muitos países, cristãos são perseguidos pelo simples fato de assumirem a sua fé em Jesus;
4. Etc... etc...

Você busca ser um cristão autêntico? Qual é o propósito de Deus para a sua vida? Qual é a sua missão neste mundo?

Jesus disse aos seus discípulos:

"Vão pelo mundo todo e preguem o evangelho a todas as pessoas" Mc 16.15.

"Mas receberão poder quando o Espírito Santo descer sobre vocês, e serão minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e Samaria, e até os confins da terra". At 1.8

"A colheita é grande, mas os trabalhadores são poucos. Peçam, pois, ao Senhor da colheita que envie trabalhadores para a sua colheita". Mt 9.37-38.

Que tal você?

Reflexão Pessoal

Como você acha que as pessoas vêem você?
1. Como alguém preocupado com o progresso do Evangelho e com a expansão do Reino de Deus.
2. Como alguém preocupado em obter sucesso profissional e prosperidade material.

Nessa questão, como você acha que Deus vê você?

Como você pode se envolver mais efetivamente com a missão que Jesus deixou pra você?

A VIDA COMEÇA AQUI E AGORA


Certa vez um jovem rico, religioso, moralmente correto, dono de muitas propriedades perguntou a Jesus: "que farei de bom para alcançar a vida eterna?". A resposta de Jesus me fez pensar que a pergunta do jovem teria sido uma pergunta sem sentido, uma pergunta fora de lugar. "Por que me perguntas acerca do que é bom. Bom só existe um. Mas se queres entrar na Vida..."

Ou seja: uma boa ação que garanta favores celestiais é impensável; um ser humano muito bom para se bastar inexiste. A pergunta que o jovem faz é absurda, mas a resposta de Cristo pode lhe socorrer de uma vida religiosa, gnóstica, avarenta e escapista.

" 'Mas se queres entrar na Vida...' se é a respeito, jovem, do engajamento na Vida, de uma participação responsável no Viver, nós podemos conversar." A questão não é alcançar a vida eterna, a questão é entrar na Vida. ("Aliás, que tal entrar na Vida não possuindo? Que tal me seguir mais leve? Venda suas propriedades e dê aos pobres!").

“Alcançar a vida eterna” como se a vida eterna fosse uma casa de veraneio, uma chácara, o lugar da ociosidade eterna, do capim na boca, pescando agachado, ouvindo canções angelicais ininterruptamente é inconcebível. Além de ser tedioso, sinceramente! Não! A Vida é dinâmica e já começou! O Reino dos céus está entre nós!

A questão não é ganhar a vida que está me esperando em algum lugar geográfico, mas sim, entrar na Vida que já está fluindo, que já está acontecendo. A Vida não espera inerte em algum lugar, ela está em movimento desde agora. E deseja acompanhantes, agentes, cúmplices! Esperar a vida eterna para que se possa viver é não viver, é já morrer. “Cadáver adiado que procria” (Fernando Pessoa).

O reino dos céus não é um presente que se ganha. “Ganhei minha vidinha eterna!”. A vida eterna é um projeto onde eu entro, onde eu me enfio de cabeça aqui e agora e vou vivendo em todo o seu movimento. Uma vida eterna que se ganha é uma vida muito pequena, uma vida que se pode pegar, apalpar, uma vida menor do que eu.

Eu não consigo abarcar o reino, é o reino que me abarca; não sou eu que envolvo a vida eterna, é a vida eterna que me envolve. Eu não consigo garantir a Vida, é a Vida que me garante. O povo tem a mania de querer garantir a salvação como se ela fosse uma poupança celestial, mas o fato é que é a salvação que nos garante uma vida boa, bem vivida com Deus e com o próximo.

Querer garantir a salvação é medíocre; ficar se policiando como estão os potinhos que garantem a vida eterna é pequenez e tira o nosso foco da vida aqui e agora. Manter os olhos somente na vida eterna é escapismo, fuga da realidade, irresponsabilidade com a vida – é blasfêmia. É negar a vida – o que a religião tem sugerido.

Do que adianta a preocupação com a vida após a morte se o próximo está nu, preso, doente, pobre, oprimido? Do que serve uma religião escatológica, mas que não me ensina a viver diante dos desafios da vida? Do que vale uma religião apocalíptica, mas que castra as possibilidades de se ter prazer na Vida?

A proposta do cristianismo é: viva a Vida em toda a sua plenitude; os momentos maus e bons; viva a Vida intensamente com tudo o que ela tem para oferecer. Carpe diem!

O anúncio do evangelho é que o Reino já chegou. A vida eterna começa aqui e agora; vamos viver a Vida, embebidos pelo ideal do Reino.

Rubem Alves tem uma frase que gosto muito: “o futuro não é resultado do presente, é o presente que é engravidado pelo futuro”. Os sonhos, o ideal é que movem nossas pernas e braços para trabalhar, é o futuro que engravida o nosso presente de significado, alegria, esperança, dignidade, justiça, amor. Futuro que fica nos esperando no futuro nos faz esperar, conformar, escapar... Mas o futuro que penetra o presente concebe o Reino de Deus!

A idéia da vida eterna não é para cruzarmos os braços e esperarmos Jesus voltar, mas para começarmos a viver já. O ladrão vem apenas para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida, e a tenham plenamente. Jo 10.10